terça-feira, 27 de janeiro de 2015

ENTENDENDO A PSICOMOTRICIDADE

Diante das dificuldades escolares dos filhos, muitos pais se surpreendem com a indicação da escola para que recorram ao profissional de Psicomotricidade, o psicomotricista, para uma avalição que compreenda melhor a origem de tais dificuldades.
- Psico o quê???… Psicólogo, Psicopedagogo tudo bem! Mas agora Psicomotricista?!?
A Psicomotricidade é conceituada como uma ciência da saúde e da educação, uma neurociência, que entende que os potenciais humanos são sustentados por um aparato neuropsicomotor que coordena e organiza as ações geradas pelo cérebro e as manifesta em conhecimento e aprendizado.
Por aparato neuropsicomotor entende-se as áreas básicas da psicomotricidade, que são: esquema e imagem corporal, equilíbrio,  tonicidade, lateralidade, coordenação,  estruturação espacial e temporal.
A prática psicomotora procura estimular e enriquecer tais bases para que o potencial humano seja melhor explorado e com ele a perpetuação do sentimento de autoestima e competência. Só assim a pessoa se convencerá da real possibilidade que tem em se adaptar, tornando-o transformador e produtor social.
Atualmente se entende que muitas das dificuldades de aprendizagem encontradas nos primeiros anos do ensino regular, entre elas: dificuldade com a letra cursiva, falta de atenção e concentração, hiperatividade, dislexia, discalculia, estão, na grande maioria, relacionadas com a pouca estimulação do aparato neuropsicomotor, ou falta dela, nos anos iniciais de vida, mais precisamente, entre o nascimento e os 3 – 4 anos.
Nestes anos, a criança precisa ser bem estimulada para que as bases da psicomotricidade ocorram. Quando negligenciados ou mal estimulados, as seguintes dificuldades podem aparecer:
  1. Esquema Corporal
  2. Não coordena bem os movimentos dos membros do corpo: tropeça com facilidade, esbarra constantemente em móveis e objetos, deixa cair seus pertences.
  3. Dificuldade em se vestir/despir: é bastante lenta para isso
  4. Caligrafia ilegível ou muito lenta.
  5. Leitura expressiva não harmoniosa: para muito e não segue bem o ritmo.
  1. Lateralidade
  2. Não percebe a diferença no seu lado dominante.
  3. Não distingue direita e esquerda.
  4. Incapaz de seguir a direção gráfica (leitura começando pela esquerda).
  1. Percepção Espacial – orientação pelo espaço
  2. Espelhamento por conta da lateralidade:
- b e d
- p e q
- 12 e 21
  1. Não distingue alto e baixo:
- b e p
- n e u
- ou e no
  1. Percepção Temporal – orientação no tempo
  2. Noção de antes ou depois: confusão na ordenação dos elementos de uma sílaba.
  3. Análise gramatical prejudicada: não consegue reconstruir uma frase com as palavras misturadas.
  4. Dificuldade muito grande com a matemática, pois para calcular precisa: ter pontos de referência, colocar os números corretamente, possuir noção de fileira e coluna, combinar as formas para fazer as construções geométricas.
Dessa forma, a Psicomotricidade contribui não apenas para instrumentalizar o aluno com suas dificuldades de aprendizagem, fortalecendo e resgatando sua autoestima, mas também a escola e professores para que, munidos de mais informação sobre a importância dessas bases psicomotoras no processo de alfabetização, possam reconhecer e intervir de modo mais preciso na origem da dificuldade apresentada pelo aluno.
Texto escrito por Anderson Vilhena Santoro Mariano,  psicólogo e psicomotricista do Espaço Cuidar.

0 comentários:

Postar um comentário