quinta-feira, 20 de novembro de 2014

BOYHOOD - DA INFÂNCIA À JUVENTUDE

Prisioneiros do tempo, que segue sempre em frente, nossa vida movimenta-se em vários espaços, que se sucedem uns aos outros.Todo mundo vive assim.

“Boyhood” é um filme simples, porque é como a vida de cada um de nós, já que o ser humano é sempre o mesmo na base. Mas, ao mesmo tempo, o filme é muito sofisticado porque essa visão de um ser humano em perspectiva, através dos anos, é extraordinária.

Vemos desenvolver-se, perante os nossos olhos, acontecimentos escolhidos, com sensibilidade, da vida daquela família de mãe e seus dois filhos, com o pai aparecendo e desaparecendo, e ficamos íntimos daqueles personagens.

Mas claro que o menino é o centro. Mason ocupa o foco. A construção dele como pessoa vai se delineando com detalhes em nossa mente, durante as três horas do filme. Que, aliás, passam rápido como a vida.

Da criança de uns 6 anos, que olha o céu e pensa, não sabemos o quê, ao jovem que, mais apaziguado com os medos da adolescência, aos 18 anos, olha a câmara com um sorriso cúmplice, como se sorrisse para si mesmo, 12 anos se passaram. Não foi fácil em muitos momentos, mas assim mesmo ele chegou alí.

E sentimos uma ponta de pena de não continuar seguindo seus passos.

Richard Linklater tinha filmado “Before Sunrise – Antes do Amanhecer”em 1995 com Julie Delpy e Ethan Hawke, quando começou a pensar em “Boyhood”. E, quando o projeto começou, foram 39 dias de filmagem, quando conseguiam conciliar as agendas de Patricia Arquette, a mãe, Ethan Hawke, o ator fetiche de Linklater que faz o pai de Mason (Ellar Coltrane) e Samantha (Lorelei Linklater, filha do diretor). De 2002 a 2013 eles se reuniam, discutiam o texto escrito pelo diretor e filmavam 3 ou 4 dias. E iam mudando, amadurecendo, envelhecendo.

E, dessa intimidade anual com Ethan Hawke foi que surgiu a ideia de filmar os dois outros filmes da trilogia famosa, “Antes do Por-do-Sol – Before Sunset” de 2004 e “Antes da Meia Noite – Before Midnight” de 2013, sempre com o mesmo casal, um “Boyhood” sobre a relação amorosa.

Richard Linklater, 54 anos, escolheu a trilha sonora para marcar também a passagem do tempo. Assim, ouvimos desde Cold Play, Lady Gaga, Foo Fighters, Bob Dylan, Paul McCartney até três canções do nosso Moreno Veloso.

“Boyhood”, que ganhou o Urso de Prata em Berlim pela melhor direção, é um filme que já nasceu “cult”.



Fonte: http://www.eleonorarosset.com.br/

0 comentários:

Postar um comentário