terça-feira, 28 de outubro de 2014

PSICO-HIGIENE: UMA MELHORIA MENTAL ATRAVÉS DA PREVENÇÃO

De acordo com José Bleger, psico- higiene é estabelecer uma melhoria antes que ocorra o problema. Dita que, não precisamos esperar o outro adoecer para darmos o melhor de nós. A proposta é que o Psicólogo ultrapasse a atividade psicoterápica, que visa estritamente uma pessoa doente procurando a cura, ele propõe a prática da prevenção.

Para isso, são necessários alguns instrumentos de trabalho, conhecimentos e técnicas que sirvam este propósito. O Psicólogo Clínico deve ocupar um lugar em toda equipe da saúde pública em qualquer e em todas, com o amplo objetivo da higiene mental, nos quais possuem funções específicas para cumpri-las. 

Desta forma, modificaria a assistência psiquiátrica, levando condições mais humanas, com isto aumentaria a possibilidade de curas com diagnósticos precoces de doenças mentais, seria uma forma de ampliar horizontes.

Assim, pode-se dizer que o psicólogo focaria sua atenção extremamente na atividade humana e no efeito dela. Seguindo algumas informações como:

*Finalidade e objetivo da instituição
*Instalações e procedimentos com os quais alcançam os objetivos
*Situação geográfica e relações com a comunidade
*Relações com outras instituições
*Origem e formação
*Evolução, história, crescimento, mudanças, tradições
*Organização e normas que a regem
*Contingente humano que intervém nesta instituição
*Avaliação dos resultados do seu funcionamento


As instituições são:

* Instituições culturais básicas (família, igreja, escola).
* Instituições comerciais (empresas comerciais e econômicas, união de trabalhadores, empresas do Estado).
* Instituições recreativas (clubes atléticos e artísticos, parques, campos de jogos, teatros, cinema de jogos, teatros, cinemas, salões de bailes).
* Instituições de controle social formal (agencias de serviços sociais e governamentais)
* Instituições sanitárias (hospitais, clínicas, campos e lugares para convalescentes).
* Instituições de comunicação (agências de transportes, serviços postal, telefone, jornais, revistas, rádios).

A Psicologia Institucional é caracterizada pelo conjunto de organismos de existência física concreta, que tem certo grau de permanência em algum campo ou setor especifico da atividade ou vida humana, para estudar neles todos os fenômenos humanos que se dão em relação à estrutura, a dinâmica, funções e objetivos da instituição.

A Psicologia Institucional compreende o estudo de estratégia de trabalho através do enquadramento (olhar técnico) da tarefa a ser feita e para isso, deve-se levar em conta dois aspectos: toda tarefa deve ser empreendida e entendida em função da unidade e totalidade da instituição e o psicólogo deve considerar a diferença entre a psicologia institucional (profissional contratado para prestar um serviço) e o trabalho psicológico em uma instituição (profissional como funcionário da empresa). Se o psicólogo é funcionário da instituição, ele perde a neutralidade. Para o enquadramento, que significa: variáveis que limitam as atividades a serem exercidas pelo profissional para a instituição, deve considerar tudo o que for feito, deve ser feito para unidade e totalidade da instituição, o profissional pode ser contratado para uma determinada questão, a remuneração não pode comprometer sua independência profissional e fixar primeiramente o horário global da tarefa e depois os honorários.

O horário gasto na atividade deve estar de acordo com o numero de pessoas envolvidas no trabalho a ser feito. Deve-se considerar o tempo que será gasto fora da instituição, como o estudo do material recolhido, redação e protocolos.

Quase sempre o motivo da consulta ao profissional, não é o problema, mas sim, um sintoma real. Assim, o psicólogo deveria atender na perspectiva de sair do conflito e avançar. Eles propiciam o crescimento tanto da instituição quanto dos envolvidos. O conflito é próprio da natureza humana, e nos encaminha para o desenvolvimento. Ao superar um conflito, o resultado é uma melhoria e maior desenvolvimento que antes. A ausência de conflito pela fuga ou esquiva, não favorece a superação.

Conclui-se ser necessário ampliar as técnicas de investigações dentro das comunidades, técnicos de operatividade, técnicas para administrar os limites da comunidade. Só assim, os psicólogos estarão aptos a fazer algo mais eficiente pelo doente mental com diagnósticos precoces, um dos maiores e importantes objetivos da higiene mental.




Fonte: http://psicarlaegidio.wordpress.com

0 comentários:

Postar um comentário