quinta-feira, 2 de outubro de 2014

LIBERTE-SE DA PRISÃO PSICOLÓGICA

Todos nós ao longo da vida vamos construindo um modelo do mundo. Vamos acumulando experiências que nos fazem ter uma ideia acerca de nós mesmos, do nosso potencial e das nossas limitações. A sociedade, educadores, amigos, familiares, contribuem para a construção da grande maioria das nossas crenças. Aquilo em que acreditamos tem uma forte influência na forma como experimentamos o mundo, e igualmente na forma como interpretamos a nossa história de vida. A necessidade que temos para construirmos certezas que nos ajudem a caminharmos seguros e confiantes, pode conduzir-nos a excessos de catalogação, a excessos de “ses” e “deverias”, tornando-nos pouco flexíveis na forma como pensamos, sentimos e agimos. Por vezes, a nossa forma de ser e de interpretar o mundo leva-nos a criar barreiras e obstáculos ao nosso bem-estar e felicidade.
Num esforço para nos adaptarmos e adequarmos ao mundo, em retorno, todos nós vamos criando limitações ilusórias, criando prisões psicológicas que nos fazem sofrer das mais variadas formas.
Em baixo apresento um texto representativo da construção das nossas limitações, preconceitos e prisões psicológicas:
“Em mim habitam muitas limitações, preconceitos e insensibilidades impostas pelos outros, pela sociedade e cultura.
Às vezes tão incisivas que me fazem olhar para mim de forma rígida, cheias de “ses” e “devias”,
Critico-me a mim, aos outros, às coisas, aos ricos, aos pobres, aos muçulmanos, aos cristãos, aos gays, aos do norte, aos do sul,
Sempre com a dose certa de malícia, suficiente para obscurecer a minha bondade, empatia, compaixão, solidariedade,
Tudo isso por medo, por tomar partido, por proteção, por vaidade, por supremacia, talvez até por sobrevivência,
Dia a após dia, vou ficando encarcerado pela minha maledicência que me afasta do amor,
O amor, tantas vezes esquecido,
justifico esse esquecimento pela mágoa, pela “casca” dura que o olhar com desdém construiu,
Vivo dentro dessa fortaleza que me afasta da humanidade,
Que me mantém longe da expressão livre e simplista da minha mais profunda natureza – o amor e a capacidade de ser amado,
Nos recônditos da prisão que construí á minha volta, sempre no pressuposto de me proteger, de afastar “aqueles” que julgo serem diferentes (piores),
Isolei-me de todos, inclusive dos que julgo serem iguais a mim,
Olhei mais profundamente e à minha volta vi tantos iguais a mim, também eles presos nas suas prisões construídas por eles próprios,
Eu, eles, e os outros, estamos vivendo em prisões que nos obrigam a distanciarem-nos,
que nos obrigam a deixarmos de nos expressarmos livremente com as convicções que deveriam ser respeitadas,
Que nos impedem de nos ajudarmos,
que nos impossibilitam de nos olharmos como iguais num mundo que é de todos e para todos,
Talvez todos, eu você e os outros devêssemos abrir as nossas próprias prisões (corações) e contribuir para que outros abram também as portas das suas próprias prisões (corações),
Corações abertos são a expressão de uma alma fraterna.
Vamos abrir os nossos corações.”

- Miguel Lucas

CONSTRUA AUTOCONFIANÇA ABRAÇANDO A INCERTEZA

A confiança é muito mais do que ter certezas absolutas. É sobre estar disposto a ir além da sua zona de conforto, quando não há absolutamente nenhuma evidência de que você vai conseguir. Pense nisso desta maneira. A autoconfiança é baseada na sua capacidade de orientar-se e confiar nas suas próprias habilidades, sabendo que não importa o que aconteça, você vai sempre dar o seu melhor para atingir aquilo a que se propõe.
Você tem medo de enfrentar algo novo? Quando você tenta fazer algo novo, abandona o seu desejo de estar no controle. É a ânsia de antecipadamente querer saber os resultados, o desejo de controlar e a incapacidade de se render que cria o medo. Entre na incerteza de cabeça erguida. Na grande maioria das vezes a vida é incerta.

ASSUMA A RESPONSABILIDADE DAS SUAS ESCOLHAS

Ninguém está vindo para salvá-lo. Você tem que assumir a responsabilidade da sua própria vida e o que acontece nela. As outras coisas e as outras pessoas podem certamente ajudá-lo em determinadas circunstâncias. Mas você é o principal responsável.
Você pode sair por aí culpando a sociedade, ou algumas pessoas pelos seus problemas. Nas finanças. Na saúde. Você sempre pode encontrar bodes expiatórios para julgar e sentir-se melhor sobre si mesmo. Você pode procurar constantemente suporte nos outros, ficar na sua sombra, dependente. Você pode fazer isso para o resto de sua vida, se quiser. Mas será o melhor para você? Acredito que não. O que tiver que ser feito, é você quem tem que assumir a responsabilidade e fazê-lo, diretamente ou indiretamente.
Sim, as coisas nem sempre podem seguir o caminho desejado. Você vai cair e tropeçar, e provavelmente você vai ter má sorte de vez em quando. Mas você pode sempre concentrar-se em si mesmo e fazer o que pode ser feito com o que tem, em qualquer situação que possa surgir na sua vida. Ninguém está vindo, você é que está indo. Indo ao encontro de melhorar a sua vida.

ESCUTE A SI MESMO

Não podemos esperar estar no controle das circunstâncias da nossa vida, quando não conseguimos controlar a nossa mente por cinco minutos. A reflexão e autorregulação é a prática diária que vai permitir manter-se firme e confiante nos momentos mais inoportunos. É a arte de escutar a si mesmo. É uma prática que nos permite sintonizar e ajustar as principais áreas das nossas vidas: a mente e o espírito.
Tome algum do seu tempo para ficar consigo mesmo, sem julgamento. Observe-se, tranquilize-se, viaje consigo sem sair do seu lugar. Respire, inspire e expire, nesse intervalo vive a sua tranquilidade.

APOIE A SI MESMO

Alimente a sua mente com a abertura para excelência. Alimente a sua mente com palavras de incentivo, com palavras calorosas e motivadoras que permitam ir ao encontro daquilo que deseja. Procure em si, procure nos outros, e naquilo que o rodeia uma forma construtiva de se elevar, de puxar por você. Agite a sua inteligência e permita-se a usá-la em seu favor. Não se deixe oprimir pelo seu humor diminuído, não se deixe ofuscar pelos seus medos, não se deixe travar pelos seus fracassos e não se deixe desanimar nos recuos. Olhe para si, procure em si, você é capaz de empurrar-se a si mesmo na direção daquilo que pretende alcançar.
Respeite a si mesmo não criticando, julgando, ou negando o que você sente. Fortaleça-se com muito descanso, alimentos saudáveis, tempo de silêncio, e não se esqueça de divertir-se.

SEJA VOCÊ MESMO

Tenha a coragem de ser exatamente quem você é, sem desculpas. Admita seus erros sem mandar-se para baixo. Liberte-se de toda a vergonha! Liberte toda a culpa! Você não pode viver plenamente se estiver escondendo-se atrás de quem você era. Concentre-se no que é, neste momento, que é você mesmo.

CAMINHE LIBERTO DE RESSENTIMENTOS

Se você sabe que a sua vida é uma viagem e pretende torná-la no seu destino divino, você deve aprender a viajar com pouca bagagem! Desfaça-se das atitudes abrasivas, apetites viciantes e medos irracionais que você deixou acomodarem-se no seu coração e mente. Carregue um pouco de verdade, uma cápsula de coragem, um punhado de fé, um bolso cheio de paz de espírito, e faça-se ao seu caminho!

CONSTRUA ALGO SEMPRE QUE NECESSÁRIO

Remodelar a nossa vida em períodos de mudança é um processo familiar. Como um castelo de areia, estamos constantemente a mudar, recriar, remodelar a nós mesmos à medida que vamos sendo influenciados por nossas famílias, amigos e ambiente ao nosso redor. À medida que crescemos, fazemos escolhas para adicionar novos comportamentos e eliminar outros. Nós construímos túneis e pontes para ligar a nossa vida com pessoas significativas, vamos construindo muros e fossos para nos proteger do perigo.
Tempestades frequentes e ondas fortes, de tempos em tempos quebram os nossos castelos. Quando a tempestade passa, muitas vezes tiramos algum tempo para retiro e reflexão. Às vezes, nós escolhemos fazer alterações em nosso castelo de areia, esforçamo-nos para torná-lo um pouco mais perto de nossos próprios pontos de vista e sonhos. Não se apegue demasiado ao seu castelo, prepara-se para o momento em que ele se desmorona, e construa um novo sempre que isso lhe fizer sentido. Você é o construtor da sua vida!

ALIVIE O SEU FARDO

Concentre-se em tudo o que é ou foi extraordinário na sua vida. Aprenda a encontrar alegria no momento, quando você tem razões para expressar a sua alegria. Seja grato pela sua respiração, saúde, casa, família, amigos e tudo o que é maravilhoso. Comemore a sua luta e sucesso. A vida é cheia de altos e baixos. É um processo de aprendizagem. Não se apegue nas suas dificuldades, obstáculos e medos. Desistir pode ser uma opção, mas nunca é o caminho.
Tenha um sentimento de admiração sobre o desconhecido. Aprenda a desfrutar a sua viagem e as suas escolhas. Mantenha a calma e continue com um sorriso em seu rosto. Escolha ser livre, livre de decidir que passos dar.
Eu olho para mim,
Onde sinto o calor do sol,
Onde posso vislumbrar a beleza cintilante das estrelas,
Onde posso sentir a leveza da minha respiração,
Onde a compaixão cresce,
Onde a minha alegria me acalenta o coração,
Olho para mim e vejo o reflexo de tantas outras pessoas,
Onde se expressam através do meu conhecimento,
Onde se misturam com as minhas ambições,
Onde se manifestam nos meus sentimentos,
Eu olho para a minha força,
Sinto-a a vibrar a cada desafio,
A crescer na profundidade da minha alma,
Eu olho e vejo imensas formas da vida se expressar em mim,
Onde posso reconstruir-me a cada decepção,
Onde posso relembrar-me das minhas conquistas,
Onde posso amar e ser amado,
Olho para mim e percebo tudo aquilo que posso realizar,
Como é bom olhar para mim e sentir o pulsar da vida,
Olhando para mim, sinto-me bem-aventurado,
Olhar e poder ver a beleza de estar vivo e poder crescer dentro de mim,
Olho e vejo-me a transformar-me na vida e a vida a transformar-se em mim,
Eu e a vida somos ambos a mesma coisa,
Como é bom olhar-me, ver-me, ver a vida a fluir e eu a fluir com a vida.

- Miguel Lucas
Pense nisto: “O que vou fazer hoje para atualizar a mim mesmo, de forma a que me torne na versão mais grandiosa, verdadeira e extraordinária daquilo que julgo ser?”


Fonte: Psicologia e Motivação

0 comentários:

Postar um comentário