sexta-feira, 29 de agosto de 2014

AINDA EXISTE AMOR ETERNO?

Por Tatiana Ades


"O que faz com que dois se tornem um por toda vida?"


Alguns casais parecem estar unidos pela sobrevivência mútua um do outro. São pessoas que ficam uma vida toda ao lado da outra e juram amor eterno, que de fato é real: passam por dificuldades e enfrentam as turbulências da vida, mas o amor nunca se desfaz, a idade passa e um amor adolescente se transforma em amor maduro, onde a amizade incondicional prevalece.

É bonito saber que ainda existe esse tipo raro de amor, que não é apenas de verão, mas engloba todas as estações de uma vida.

Alguns casos ilustram bem o amor eterno

Um fato que ficou célebre: uma casal de Nova York, que passou 60 anos juntos, morreu com apenas algumas horas de diferença.

Ed hale, de 83 anos, havia feito promessa à esposa Floreen Hale, que nunca a deixaria e assim o fez.

Quando foi internado por problemas sérios na perna, a esposa estava hospitalizada com problemas no coração. A filha do casal recebeu a súplica do pai de que precisaria ver Floreen antes de morrer. Ele disse "Preciso ver sua mãe, preciso falar com sua mãe. Estou morrendo, eu preciso vê-la'", contou Renee Hirsh, filha do casal. "Foi o pior dia da minha vida."

O hospital acabou concedendo que os dois ficassem lado a lado no quarto, onde puderam trocar as últimas juras de amor com as mãos dadas. Floreem morreu primeiro e após 36 horas Ed de foi.
Ambos foram enterrados juntos no mesmo dia.

Naomi shirley de 75 anos e tom Shirley de 83, retratam outro caso de amor eterno.

Estavam juntos há 45 anos e morreram com um intervalo de apenas 10 minutos, no estado de Western, Flórida. Nesse caso, não houve despedidas e ele morreu no hospital.

"Meu pai morreu sem saber que minha mãe estava indo visitá-lo e ela morreu 10 minutos depois... Então nenhum dos dois soube que o outro morreu. Agora eles estão juntos, olhando por todos nós", disse um dos filhos do casal, Tom Shirley Junior, à emissora norte-americana NBC6.

Outra história emocionante foi do casal Enneth e Helen Felumlee, de Ohio, o intervalo da morte foi de apenas 15 horas. Eles nunca haviam passado uma noite separados, contam os familiares. Após 12 horas da morte de Helen, Enneth começou a perder os sentidos e foi embora também.

O que faz com que dois se tornem um por toda vida?

São mistérios da vida e da morte que continuam intactos, mas que nos mostram que o amor verdadeiro ainda existe em tempos de caos.


Fonte: Vya Estelar

0 comentários:

Postar um comentário