quarta-feira, 23 de julho de 2014

CONSCIÊNCIA E SUA RELAÇÃO COM OS CINCO SENTIDOS

Por Patrícia Renata


Ao falarmos sobre dados dos sentidos, referimos àquilo de que o sujeito tem consciência, quer isso corresponda a algo existente no mundo, quer não. 

Podemos dizer que nossos cinco sentidos, nos colocam em relação às coisas que estão fora de nossa mente – construída pelos processos internos do cérebro ou apenas ali depositada. Mas a representação enquanto tal é para alguns autores, inegável para o sujeito que a possui. Para outros, estaremos presos aos nossos próprios estados mentais de modo a termos apenas uma aposta de que o que existe em nível cerebral corresponda ao objeto “lá fora”. Abrir os olhos da face e fechar os do coração pode nos deixar frios demais. Escutar e ouvir modificando pensamentos e não apenas ensurdecendo por dentro, pode ser um bom começo. Sentir o perfume da flor na calçada é mais gratificante que, lembrar esse cheiro somente quando alguém partir, isso pode tornar-se pra sempre dolorido demais. Falar somente quando formos chamados ao processo, elevaria o nível de nosso vocabulário e capacidade de discernimento. Qual o seu toque de amor ao próximo? Você pode sentir? Até aonde a sua consciência te deixa ir?

Para Wundt, considerado por muitos o “Pai da psicologia experimental” a consciência é um termo utilizado para nomear o fato de percebermos em nós próprios representações, sentimentos e impulsos voluntários, sendo este o objeto de fundamental importância da Psicologia. Ele acreditava que as sensações são formas elementares da experiência, por serem elementos simultâneos da experiência imediata e possuírem qualidade e intensidade. O autor considera que a mente e o corpo são sistemas paralelos, porém sem interferência mútua e que por isso era possível estudar a mente de forma eficaz, separadamente.

António Damásio complementa que a consciência se separa em CENTRAL e AMPLIADA. A central corresponde ao agora e ao aqui, não ilumina o futuro, e o único passado é o imediato instante anterior. A ampliada depende da memória e atinge seu ápice intensificado pela linguagem. Ele foca a importância da atenção para a consciência quanto a de ter imagens. Com os sentidos, a consciência consiste em construir um conhecimento sobre dois fatos: um organismo está empenhado em relacionar-se com algum objeto, e o objeto nessa relação causa uma mudança no organismo.

As sensações podem ser classificadas de acordo com a modalidade sensorial em que são recebidas; além disso, possuem qualidade e intensidade.

De acordo ainda com Wundt, a mente executa uma síntese química mental que se processa através da associação e que se realiza de três formas: pela fusão, onde os elementos combinados aparecem sempre juntos, como é o caso da nota musical; Pela assimilação, que é também uma combinação de elementos em que nem todos estão presentes do consciente. Quando se vê uma casa, por exemplo, podem não estar presentes na consciência, as figuras que compõem aquela casa (triângulo, retângulo, quadrado). Como na fusão, essa combinação gera um produto novo que não é o resultado da simples soma dos elementos; A terceira forma é chamada complicação, em que se reúnem elementos de diferentes modalidades e sentidos: a noção do sabor e da temperatura. É possível que o autor tenha considerado as proposições de Aristóteles sobre: contingência, semelhança e contraste. Os afetos ou sentimentos acompanham as sensações e suas combinações entre os modelos de classificação dos sentimentos que utilizou o mais influente foi o referente à sua teoria tridimensional das emoções, que estabelecia três pares dicotômicos: agradável – desagradável; tenso – descontraído; excitado – calmo.

A conscientização ou voluntarismo segundo Wundt é uma combinação de complexos que envolvem as sensações e os aspectos subjetivos: emoções, volições, intelecções. O principal processo de conscientização é a atenção: o que torna o campo consciente mais nítido que o fundo no processo denominado apercepção.

Conclui-se que a relação entre os fenômenos DA CONSCIÊNCIA E os CINCO SENTIDOS ocorre quando a mente executa uma síntese química mental que se processa através da associação e que se realiza de três formas: pela fusão, onde os elementos combinados aparecem sempre juntos; pela assimilação, que é também uma combinação de elementos em que nem todos estão presentes do consciente e pela complicação, em que se reúnem elementos de diferentes modalidades.

0 comentários:

Postar um comentário