quinta-feira, 13 de março de 2014

BELÉM BELÉM, NUNCA MAIS TÔ DE BEM


"Belém Belém, nunca mais tô de bem...
Até o ano que vem."
Quem nunca disse essa frase quando criança?
Nossas eternas inimizades de meia hora, ou no máximo alguns dias.

Belém Belém, frequente frequentador de nossos dias de infância nos mostra o nosso narcisismo secundário.

"Não vou mais ser seu amigo!"
"Só volto a ser seu amigo se você deixar eu começar chutando."

E o narcisismo secundário entra em cena novamente.
Só sou legal contigo se você for legal ou útil pra mim. Se não for assim, nada feito.

"Opa! Eu não sou narcisista!"
Narcisismo é feio. Devemos ser altruístas. Altruísmo é legal.

E se eu te disser que o altruísmo é um narcisismo disfarçado.

"Como assim! ??"

A Madre Tereza (Que comece meu apedrejamento) mostrava em seus atos um narcisismo secundário.
Não que ela fizesse o bem pensando no retorno, mas inconscientemente ela tinha o regozijo com as suas boas ações.

Narcisismo Secundário = Fazer o bem - Sentir-se bem/Regozijo.

Alguns dias atrás uma amiga me procurou pelo zap zap* dizendo que queria terminar nossa amizade.

"Chega Dann, você não é mais interessante pra mim."
"Não quero ser sua amiga mais. Você está muito calado e assim não me inspira mais."

O Belém Belém dela assim como o das crianças, também durou algumas horas.

O Narcisismo Secundário estava/está muito presente no discurso dela.
E ela está certa. Assim como qualquer pessoa, ela cortou/quis cortar o vínculo com alguém que nao lhe trazia retornos.


Então eu lhe pergunto Percival**:

"Quantos Belém Belém você ainda "fala" por aí?

Um comentário: