quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

SINCERIDADE DEMAIS MAGOA?

Por Eduardo Yabusaki
 
 
"Nos relacionamentos é bastante comum as pessoas se questionarem se sinceridade é importante ou não, principalmente quando ela gera conflitos e mágoas. Será possível que um relacionamento perdure se faltar sinceridade?"
Não se pode questionar um elemento essencial para um relacionamento como a sinceridade, em função de possíveis efeitos que ela venha a acarretar como: mágoas, conflitos ou mesmo discussões.

É sempre importante num relacionamento ambos terem total liberdade e tranquilidade para dizerem tudo o que pensam ou sentem, mas sem dúvida, existem situações em que isso não é tão simples, pois pode gerar ressentimentos.
 
É essencial ter cuidado e sensibilidade para não expor o que pensa de forma inadequada ou em momento inoportuno. Exemplo disso é quando o par pergunta o que acha da roupa que está vestindo ou até mesmo do carro que deseja comprar.
 
Se considera questionável a preferência do par: deve-se manifestar oposição ou seria melhor resignar-se e deixar o outro curtir essa experiência e tocar no assunto num momento neutro? Sua intuição e o bom senso poderão lhe dar a medida exata, se é para se manifestar naquele momento ou depois...

Certamente deixar de se manifestar não é uma boa alternativa. Afinal, a sinceridade está diretamente associada ao respeito, confiança e transparência entre o casal.

Por mais dura ou divergente que possa ser a opinião ou o gosto do par, não se pode deixar de se manifestar, pois isso pode estabelecer uma condição de submissão na relação, e isso nunca é saudável e contraria qualquer princípio de bom entendimento e boa convivência entre o par.

Dessa forma, por mais que o casal seja divergente em opiniões e sentimentos, a arte da vida a dois, reside exatamente na possibilidade de compatibilizar tais diferenças de modo que encontrem harmonia, serenidade, alegria, prazer e satisfação em sua interação.

O desenvolvimento dessas condições desenvolve e faz com que ambos cresçam individualmente e como casal. Viva, curta e cresça!
 
 
Fonte: UOL

0 comentários:

Postar um comentário