segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

FALAR PALAVRÃO PODE SER CONSIDERADO DOENÇA?

Por Marta Relvas
 
 
"Neurociência explica como o cérebro reage aos palavrões"
A compulsão por falar coisas obscenas é um distúrbio que, no vocabulário médico, recebe um nome

Quem sofre de coprolalia incorpora no meio de frases cotidianas, palavras ou frases inconvenientes, grunhidos e gemidos com conotação sexual. Tudo isso sem perceber.

O sujeito pode falar:

- "Bom dia, seu ..., como vai a ... da sua mãe?" com a maior naturalidade.
que já é um palavrão: coprolalia.
 
A coprolalia é um dos sintomas de uma doença muito embaraçosa chamada síndrome de Tourette, comumente denominada - cacoete e tique; pode ser considerada de fundo neuroemocional trazendo um profundo grau de ansiedade, e também pode ser adquirida em alguns casos, devido a acidente vascular cerebral ou traumatismo craniano, mas muitas das vezes é de causa neuropsicobiológica e emocional.
 
 
O que fazer quando a criança fala palavrões e é agressiva com as palavras?
Conversar é o melhor caminho e/ou buscar ajuda psicoterapêutica quando esse comportamento compulsivo não for resolvido dentro do esperado, pois a construção da linguagem se dá no processo social, ou seja, no convívio harmonioso entre pessoas.
 
Numa visão mais neurocientífica, podemos explicar que o nosso cérebro tem uma área denominada de ínsula que fica próxima ao sistema de recompensa e tem como função promover as sensações e as emoções dos prazeres imediatos. Essa região é localizada próxima às áreas da fala, elaboração da linguagem e pensamentos, são elas: Wernicke e Broca, ambas com funções executivas e cognitivas.
 
Muitas pessoas acreditam que falar palavrões dá um rápido alívio e, como um "passe de mágica", seus problemas emocionais se resolverão imediatamente. Nossas crianças aprendem por estímulos e os pais precisam ficar atentos sobre esse comportamento e repreendê-las sem ameaças mais dialogando sempre.
Vale uma dica

Use e abuse das áreas da linguagem que se localizam na área do cérebro pensante, próximo ao córtex pré-frontal que tem como principal função a de elaborar as nossas escolhas e decisões, ou seja, a razão. Oriente sua (seu) filho(a), a pensar antes de falar palavrões.
 
 
Fonte: Vya Estelar

2 comentários: