segunda-feira, 11 de novembro de 2013

PACIENTES BIPOLARES MORREM UMA DÉCADA MAIS CEDO QUE OUTROS

Mulheres com transtorno bipolar morrem, em média, nove anos mais cedo do que a população em
geral, e os homens uma média de oito anos e meio mais cedo, de acordo com pesquisadores da Universidade de Stanford.
 
“Identificamos várias causas, incluindo o aumento da mortalidade por doenças cardiovasculares, diabetes, DPOC (Doença Pulmonar Obstrutiva Crônica), gripe ou pneumonia, lesões não intencionais, e suicídio entre mulheres e homens com transtorno bipolar e câncer entre mulheres com transtorno bipolar”, escreveram os pesquisadores no JAMA Psychiatry.
 
O estudo envolveu dados de 6,5 milhões de adultos na Suécia, dos quais 6.618 tinham transtorno bipolar.
 
Os resultados revelaram que o risco de morrer por qualquer causa foi duas vezes maior para mulheres com transtorno bipolar. O risco de suicídio foi significativamente alto para aqueles com transtorno bipolar, também. As mulheres tinham uma chance maior de suicídio em 10 vezes, enquanto para os homens foi 8 vezes maior, em comparação com a população em geral.
 
No entanto, os pacientes bipolares também estavam em maior risco de morrer de doença cardíaca, diabetes, doença pulmonar obstrutiva crônica, gripe e pneumonia, em comparação com a população em geral.
 
E as taxas de morte por qualquer causa – cerca de 14 mortes em cada 1.000 pessoas na população em geral a cada ano – foram o dobro entre as pessoas bipolares.
 
“O que quer que estejamos fazendo, essas pessoas não estão morrendo (apenas) por causa de suicídio. Essa não é a razão para o aumento da mortalidade. Isso é uma coisa difícil de se afirmar.”, disse o Dr. David Kupfer, professor de Psiquiatria na Escola de Medicina da Universidade de Pittsburgh, que não esteve envolvido no estudo.
 
Os pacientes bipolares que estavam cientes de que eles tinham essas doenças físicas, entretanto, tiveram taxas de mortalidade semelhantes às pessoas que não eram bipolar, de acordo com os pesquisadores, o que sugeriu “que o diagnóstico e tratamento médico podem efetivamente reduzir a mortalidade entre pacientes com transtorno bipolar para aproximar-se ao da população em geral.”
 
Quanto ao porquê de as pessoas com transtorno bipolar serem mais propensas a morrer durante um certo período de tempo do que os outros, a pesquisa sugere algumas possíveis causas, incluindo que elas podem ser menos propensas a procurar assistência médica e que a doença pode afetar o próprio corpo.
 
Além disso, alguns medicamentos usados ​​para tratar o transtorno bipolar têm sido associados à síndrome metabólica, um conjunto de fatores de risco que aumentam o risco de doença cardíaca.
 
No estudo, os pesquisadores descobriram que alguns medicamentos bipolares estavam ligados a um aumento do risco de morte, mas aqueles que não tomassem medicamentos para tratar a sua doença tinham um risco mais elevado de morte.
 
Kupfer observou que os resultados do estudo sugerem que os pacientes bipolares devem se submeter à investigação médica para encontrar outras condições, e ter essas condições geridas pelos médicos.
 
 
 
Texto de TRACI PEDERSEN, Editora Associada de Notícias
Revisado por John M. Grohol, Psy.D. em 20 de julho de 2013
 
 
Fonte: PsychCentral

0 comentários:

Postar um comentário