quarta-feira, 30 de outubro de 2013

FILHOS DEVEM OU TÊM OBRIGAÇÃO DE AJUDAR NAS DESPESAS DE CASA?

Por Blenda de Oliveira
 
 
 
"Tenho uma filha de 19 anos que não nos respeita mais desde os 15 anos. Ela trabalha e tem seu próprio dinheiro, mas não nos ajuda em casa e nem colabora com nada em casa. Como devo me impor?"



"Proximidade entre o dito e realizado mantém o respeito entre pais e filhos"
 
 
 
Resposta: Talvez tenha chegado o momento de propor a sua filha que comece a pensar em como conseguirá manter-se, pois logo, logo terá que encontrar seu lugar para viver. Isso quer dizer que vocês poderão marcar a época em que ela sairá de casa. Não interessa se irá demorar dois anos, mas a possibilidade precisa ser ventilada e abordada. Enquanto isso, vocês poderão estabelecer algumas regras. Por exemplo: se o quarto dela é arrumado por você ou por outra pessoa que trabalhe em sua casa, a partir de agora ela não terá esse benefício ou para retomar o benefício pode cooperar com algo: cumpre uma tarefa ou ajuda com dinheiro. Nessa idade o trabalho para muitos ainda não significa que deve ajudar em casa; o que ganha serve apenas para ser gasto com suas próprias necessidades.

Outra possibilidade é combinar que daqui em diante ela terá de bancar as coisas que usa. Você manterá casa, comida e roupa lavada, todo resto é ela que custeia. Claro, é preciso ter bom senso para avaliar se o salário dela é compatível com esse combinado. Dessa maneira nunca deve ser feita qualquer proposta no meio de uma briga. Você deve conversar com ela com calma, mas com a certeza que irá cumprir. Um dos fatores que levam ao desrespeito entre pais e filhos é a distância entre o que é dito e o que realizado.

Tente mudar o padrão da relação não peça as mesmas coisas, evite os confrontos, mas tenha uma ação firme e de acordo com o que propôs. Sua filha talvez esteja pedindo que vocês a ajudem a crescer, já que ela parece muito amedrontada. Suas atitudes dão a ela a ilusão que está com o controle em suas mãos, por isso desdenha e despreza o pedido de ajuda vindo de vocês. No fundo teme, embora se mostre destemida.

Não se intimidem, ponham as regras e mostrem que a forma como ela escolheu agir tem consequências, uma delas é perder alguns privilégios. É natural que ela queira o dinheiro para ela, entende que vocês não precisam. Os pais, para ela, continuam, deuses, plenos e capazes de se doarem initerruptamente. Ela é como um bebê que mama sem parar e tem a experiência que aquele seio é inesgotável. Ajudem no amadurecimento dela e combinem que daqui para frente terão que mudar o jeito de conduzir as coisas. 
 
 
 
Fonte: Vya Estelar

0 comentários:

Postar um comentário