sexta-feira, 13 de setembro de 2013

PESSOAS MUITO PREOCUPADAS TENDEM A CONFIAR EM ANÁLISE

Indivíduos que tendem a preocupar-se constantemente são mais propensos a usar o pensamento analítico, em vez de confiar em “pressentimentos”, de acordo com um novo estudo da Universidade de Sussex.

Uma equipe de psicólogos identificou dois sistemas utilizados pelo cérebro para processar informações. “Processamento sistemático” é pensado exigir certo esforço – analisar todas as evidências disponíveis antes de chegar à uma conclusão. “Processamento heurístico” é a resposta rápida da intuição, o tipo de reação desencadeada por uma ameaça súbita e inesperada.

Preocupados crônicos são mais propensos a ser perfeccionistas, a achar incertezas mais desagradáveis, a exigir mais provas antes de tomar uma decisão, a ter um forte desejo de controle, e se sentir mais responsável e confiável.

Estas características, juntamente com a de estar em um estado de espírito negativo, tem mostrado aumentar o processamento sistemático.

No estudo, Suzanne Dash, Ph.D., e seus colegas sugerem que a extensa preocupação ativa a mesma área do cérebro ao que o processamento sistemático (o lobo frontal esquerdo), enquanto que o processamento heurístico está associada com o lobo frontal direito.

“Nós tendemos a usar o processamento sistemático quando nos sentimos motivados e também quando a nossa confiança real na decisão que estamos prestes a tomar não é tão boa quanto gostaríamos que fosse”, disse Dash.

“Em outras palavras, é um pouco como uma campainha de alarme tocando em nossa mente – se algo é importante para nós, e nós não sentimos que temos feito um trabalho tão bom quanto poderíamos, somos propensos a usar o processamento sistemático”.

Embora a maioria das pessoas se preocupem ao longo do tempo, para alguns, a preocupação torna-se uma cadeia consumidora e interminável de pensamentos negativos que é muito difícil de parar.

“Às vezes é apropriado dar muita reflexão cuidadosa com o que poderia acontecer em uma situação incerta, como a compra de uma casa. No entanto, pessoas muito preocupadas põem pensamentos deliberados e dificultosos em questões que outras pessoas julgariam ser menos ameaçadora, como o que vai acontecer se esquecerem alguma coisa ou não estarem completamente preparada para uma reunião”, disse Dash.

“Há muitas razões pelas quais aquelas pessoas muito preocupadas podem sentir que elas não estão confiantes o suficiente e assim usar o processamento sistemático. No entanto, estar ciente de dois sistemas de processamento de informações permite que as pessoas pensem sobre quando é apropriado usar o processamento de esforço detalhado e quando não é apropriado”.

“E com a terapia cognitivo-comportamental, é possível apoiar os indivíduos para gerenciar os pensamentos inúteis, como sentir-se excessivamente responsável por uma situação ou a necessidade de estar no controle”, disse Dash.



Texto de TRACI PEDERSEN, Editora Associada de Notícias

Revisado por John M. Grohol, Psy.D., em 31 de Agosto de 2013

Fonte: PsychCentral

0 comentários:

Postar um comentário