quinta-feira, 18 de julho de 2013

ORIGEM EMOCIONAL DAS DOENÇAS - PARTE 1

“Doenças são palavras não ditas” 
Jacques Lacan

Desde que comecei a estudar psicologia e a conhecer as ligações entre mente e cérebro, emoções e corpo, uma das coisas que mais me fascinou e fascina até hoje são as ligações entre as doenças e as emoções.
A grande maioria das pessoas acredita que a origem das doenças é apenas física, sendo assim “é só tomar um remédio que passa” ou fazer uma cirurgia, ou algo do tipo. Fiquei encantado ao descobrir que é o ser humano que gera a grande maioria das suas enfermidades. Isso nos trás toda uma responsabilidade de volta, pois da mesma forma que somos os geradores podemos ser os curadores de nós mesmos. Isso não é nenhuma novidade para os orientais que desde milênios divulgam essas ideias, basta ver a medicina indiana, chinesa, entre outras.
Diferente de quando se acredita que a origem da doença está apenas no vírus que é um agente externo, ou na célula que começou a se degenerar até virar um câncer. Pode ser que você esteja estanhando essas minhas primeiras afirmações, eu também estranhei no início, pois aprendemos a pensar de uma forma. O próprio sistema não tem interesse que seja divulgado essas informações uma vez que se lucra MUITO com remédios e novas patentes dia após dias. Existe hoje uma indústria onde ficar doente é lucrativo.
É importante ressaltar que na maioria dos casos o remédio não cura. Remédio alivia, remédio trata o efeito, mas não a causa. Um exemplo, pessoa com dor de cabeça, toma um remédio e passa a dor, o remédio vai agir no efeito (a dor) e não na causa que pode ter sua origem em dezenas de fatores, desde uma noite mal dormida até um tumor em desenvolvimento dentro do cérebro, por isso que digo que o comprimido não vai curar a causa e sim agir no efeito.
Que fique bem claro que não estou incentivando ninguém a parar de tomar remédio, pelo contrário, são importantes e necessários se prescritos por um médico. O que quero deixar claro com este primeiro texto é que nossas doenças não possuem uma origem apenas física.
O ramo da ciência que estuda este fenômeno é a psicossomática. Quando falamos em uma doença é interessante que se olhe ela como um todo, algo bem complexo. Um câncer por exemplo, é necessário ao analisar sua origem levar em conta fatores ambientais, fatores hereditários (genética), estilo de vida da pessoa, exposição a fatores de risco e emoções (um dos fatores mais importantes e dos mais esquecido)s. O sistema límbico é o responsável pelas nossas emoções, quem faz a ligação delas com o corpo. Esta parte é mais complexa e sugiro a pesquisa sobre o sistema límbico. Quero deixar este texto da forma mais simples possível, nas outras partes vou aprofundando.
Sendo assim, toda doença tem também um fundo emocional e como esta é minha área darei atenção especial a este aspecto.
É muito importante que se trate também a causa emocional da doença, caso contrário ela irá aparecer toda vez que for ativada. Por exemplo, uma famosa doença que mesmo o senso comum sabe que tem origem emocional é a gastrite, alguns até chamam de gastrite nervosa. A pessoa pode tomar remédio a vida inteira para tratar a gastrite, mas se ela não ir na causa, não irá se curar, e qual a causa? Seu nervosismo. Toda vez que a pessoa fica ervosa, ativa em seu corpo este comando e o sistema límbico transfere este nervosismo para o corpo em forma de gastrite.
Assim como a gastrite toda doença tem um correspondente emocional. Algo que temos a aprender com ela, algo que estamos fazendo, sentindo, que a desenvolve. Outro exemplo clássico, são de mulheres que “engolem” desaforo ao longo de anos e anos de casamento, aceitam tudo o que os maridos fazem quietas e com o passar do tempo desenvolvem nódulos, cistos, algumas fazem cirurgias, retiram esses cistos e eles retornam. E porque retornam? Porque continuam a “engolir” os desaforos. Se elas mudassem essa postura por dentro provavelmente estes cistos desapareceriam.
O texto está ficando longo e quando isso acontece algumas pessoas reclamam, talvez preguiça de lerem muito, ou por ser muita informação de uma só vez, pois bem, vou encerrando esta primeira parte dando outro exemplo, agora envolvendo homens.
Um dos problemas que mais amedronta um homem é a impotência sexual. Que a disfunção erétil apareça com a idade avançada é até esperado, outra coisa é quando aparece ainda na juventude, entre trinta, quarenta anos. Em alguns casos esses homens procuram especialistas, fazem exames e no final descobrem que não tem nada físico e a origem desta impotência é emocional.
Do ponto de vista emocional, por trás da impotência sempre existe o medo da própria masculinidade e da própria agressividade. Homens que no fundo (e isso é inconsciente) tem medo de machucarem uma mulher (machucar no sentido emocional e físico), homens que tiveram como modelo um homem que batia em outra mulher ou que a traia acabam querendo ser tão diferente do modelo (do pai por exemplo) que acabam se bloqueando internamente gerando essa impotência. Fisicamente ele não tem nada, existe a vontade de se relacionar com outras mulheres, mas esse medo o bloqueia. Pode tomar remédio, que não vai curar, vai tratar o efeito, permitir a ereção por determinado tempo mas não vai atuar na causa.
É comum acontecer também com homens que foram criados pelas mãe e irmãs, ou pela avó, e não tiveram a figura do pai ou uma figura masculina por perto. E qual seria a causa neste exemplo? Seria o medo da própria masculinidade, da própria força, da agressividade. Tive alguns pacientes que chegaram ao consultório com esse problema, relataram a disfunção erétil e contaram que nos exames não aparecia nenhum problema. Conforme esses homens foram se trabalhando na terapia, foram tendo contato com sua energia masculina, foram desenvolvendo o lado bom da agressividade, da força, o problema com a impotência foi desaparecendo. Parece fácil? Mas não é, é preciso força e coragem para olhar para dentro.
De preferência homens que sofrem com impotência deveriam buscar se relacionar melhor com questões de poder, realização de esforços e agressividade, assim irão reaprender a lidar com o medo que possuíam.
Seja qual doença você tiver se pergunte o que ela está querendo lhe ensinar.
Se gostou deste artigo divida com outras pessoas, leia amanhã a PARTE 2, mas primeiro leiam e releiam este, pois sei que para a maioria é um assunto novo.
Sua saúde está em suas mãos. Tomar remédios e fazer cirurgia é importante, o mais difícil é olhar para dentro, lidar com “nossos monstros” interiores e transformá-los!
Suas emoções interferem totalmente em sua saúde, pense nisso!



8 comentários:

  1. Concordo c/ suas palavras. Somos o que pensamos, e nao temos ideia da forca interna que temos. O melhor remedio e o auto-conhecimento.

    ResponderExcluir
  2. Podia ter a parte 3 né? Eu achei muito interessante.

    ResponderExcluir
  3. Descobri a um mês que tenho artrite reumatoide, poderia explicar a causa emocional desta doença? Agradeço desde ja

    ResponderExcluir
  4. Gostaria de fazer uma pergunta relacionada à um trecho do texto, no final, do mesmo, você se refere à agressividade e a educação de homens por mães e avós, sem a figura paterna; está sendo relacionado diretamente a agressividade à masculinidade?

    Desde já, grata.

    ResponderExcluir
  5. PARABÉNS PELO TEXTO ... MUITO INTERESSANTE O TEMA...

    ResponderExcluir
  6. 732000
    visitantes ...
    Parabéns !

    ResponderExcluir
  7. ADORO esse site!! muito obrigada!!!!

    ResponderExcluir
  8. Eu compartilhei seu texto na minha página do facebook... um Sucesso! https://www.facebook.com/causasemocionais

    ResponderExcluir