segunda-feira, 22 de julho de 2013

ESCREVER FAZ BEM

Escrever é terapêutico.
Por muito tempo foi comum os famosos diários, usados em sua maioria por mulheres (mas não apenas por elas) onde escreviam sobre seus sentimentos, emoções, paixões, sonhos, desejos e claro, muitos segredos. O que talvez não imaginassem eram os efeitos saudáveis dessa prática para a saúde mental e física. Embora não soubessem sentiam esses efeitos e até por isso mantinham a prática por longo tempo. Há quem tenha até hoje seus diários guardados.
Com a era da internet surgiram os blogs, dos mais variados tipos e sobre os mais variados assuntos. Vale lembrar também das redes sociais, nas quais sempre tem aquelas pessoas que a usam como diário, postando tudo o que vão fazer e até mesmo o que sentem, escrevem sobre o ódio de determinado programa na teve, ou do ciúme que sentem ou ainda das roupas que não servem mais. O problema deste espaço eletrônico é a falta de privacidade que pode gerar riscos de diferentes tipos.
O fato é que, seja em um pedaço de folha de papel, em uma folha de sulfite, em um tablet ou computador, escrever sobre si faz bem. Ninguém precisa ler o que você escreve, os benefícios estão na escritano raciocíniono significado que se dá as situaçõesnas reflexões. Em artigo publicado na revista Mente e Cérebro, chamado "Quando o remédio é escrever" a autora Jessica Wapner diz:
"A busca por uma vida mais saudável pode ser um dos motivos do enorme aumento do número de blogs. Estima-se que sejam cerca de 3 milhões por todo o planeta. Cientistas e escritores há anos conhecem os benefícios terapêuticos de escrever sobre experiências pessoais, pensamentos e sentimentos. Mas, além de servir como um mecanismo para aliviar o stress, expressar-se por meio da escrita traz muitos benefícios fisiológicos."
E a seguir a parte mais surpreendente:
"Pesquisas mostram que com a prática da escrita é possível aprimorar a memória e o sono, estimular a atividade dos leucócitos e reduzir a carga viral de pacientes com aids e até mesmo acelerar a cicatrização após uma cirurgia. Um estudo publicado na revista científica Oncologist mostra que pessoas com câncer que escreviam para relatar seus sentimentos logo depois, se sentiam muito melhor, tanto mental quanto fisicamente, em comparação a pacientes que não se deram a esse trabalho."
O artigo continua, com citações de outros estudos, informações e explicações de como ocorre o processo.
Mas para o momento o que nos importa saber é que existem estes benefícios todos para as emoções, sentimentos e saúde física.
Se você algum dia teve o hábito de escrever, que tal voltar a praticar. Tirar um dia da semana para isso, ou um pouco por dia.
E se você nunca fez isso que tal começar, pelo menos experimentar, ou será que essas pesquisas todas estão erradas?
Faço uma sugestão, comece por escrever sobre sua infância, conte pra você mesmo fatos que marcaram, coloque também os momentos de dores e de alegrias. Não escreva de uma vez, comece sem compromisso de terminar, começa hoje, continua amanhã e depois mais um pouco. Ao final escreva sobre a adolescência e por fim a idade adulta, quais eram os sonhos e o que conquistou, surpresas, decepções, escreva!
O Ser Humano tem uma grande capacidade de ressignificar sua história, a tal ponto que se você daqui a 20 ou 30 anos reler o que escreveu provavelmente pensará diferente, irá perceber outros pontos que não percebia, pessoas que sentia raiva já não irá mais sentir, pessoas que você não entendia passará a entender, assim como o jovem que só entende seus pais quando tem um filho.
Bem, fica ai a sugestão, escreva sobre suas vivências, experiências, dores, amores, alegrias, decepções, mágoas, acertos, recomeços!

Mas se apesar disso não tiver interesse, que tal repassar este email, provavelmente alguém de sua lista se interesse a exercitar essa prática terapêutica!

0 comentários:

Postar um comentário