sexta-feira, 14 de junho de 2013

INTELIGÊNCIA EMOCIONAL PARA A DIETA FUNCIONAR

Efeito sanfona, boicote à dieta, assalto noturno à geladeira, preguiça de ir à academia. De acordo com o fundador e presidente da Sociedade Brasileira da Inteligência Emocional no Brasil, Rodrigo Fonseca, tudo isso pode ser culpa do inconsciente. “O corpo é o reflexo do que existe dentro da pessoa e essa imagem está atrelada às emoções. As mulheres estão cansadas de saber o que devem ou não comer para não engordar, mas o inconsciente grava emoções que levam a ingerir gordura, mesmo sem querer ou precisar”, explica.

O especialista falou à Marie Claire sobre como essas emoções ficam gravadas no inconsciente e deu dicas para fazer a inteligência emocional trabalhar a favor da perda de peso e do bem-estar definitivos.


MARIE CLAIRE: Como a inteligência emocional pode interferir no processo de emagrecimento?

RODRIGO FONSECA: Gosto de comparar o ser humano com um computador: temos o hardware, que é o nosso corpo, e os softwares, que são os conhecimentos teóricos que adquirimos ao longo da vida na escola, em livros, palestras. Entre o hardware e o software existe uma parte fundamental da máquina e também do ser humano chamada de sistema operacional. É lá que estão gravados nossos programas emocionais, que foram registrados em algum momento da nossa história, num nível inconsciente. Esses programas emitem impulsos que nos fazem comer à noite, mesmo sabendo que o melhor é comer pela manhã; que nos fazem ingerir gordura, doces e etc.


M.C.: Como é formada essa programação emocional gravada no nosso inconsciente?

R.F.: Ela começa a ser registrada desde a gestação até, no máximo, dois anos. Nessa fase, o cérebro é uma esponja e tudo é absorvido. Ali fica gravada toda a estrutura emocional que, mais tarde, geralmente na adolescência, começa a desabrochar. Por isso é comum sentirmos angústia, raiva e outros sentimentos a partir dos 12, 13 anos. É por isso, também, que geralmente nessa fase começamos a engordar.


M.C. O que é preciso fazer para alterar essa programação emocional?

R.F.: Primeiro, tomar consciência de que aqueles quilinhos a mais realmente te atrapalham e fazem mal tanto para a saúde como a vida social. Depois, buscar por meio de terapia, técnicas que acessem o inconsciente e descubram porque há aquela gravação. A partir do momento que o problema é trazido à consciência, o cérebro dará uma nova interpretação e o sentimento será gravado de outra maneira no inconsciente.


M.C.: Por que muitas pessoas começam a emagrecer e, quando estão quase alcançando o objetivo final de perda de peso, abrem mão da dieta?

R.F.: Esse boicote acontece por conta de um efeito chamado sincronismo. Quando o inconsciente detecta que o corpo está diferente do registrado por ele, ou seja, com mais gordura, libera os impulsos que fazem abrir mão da dieta por qualquer motivo, seja o falecimento de um ente querido até uma grande conquista pessoal. Para se ter uma ideia, a velocidade de processamento do nosso racional é de 40 impulsos neurais por segundo. Já o nosso inconsciente processa 40 milhões de impulsos neurais por segundo. Ou seja, na hora que dá o play, a informação que chega primeiro é a de que o corpo precisa de gordura. Por isso que, por mais dietas que se faça, é sempre difícil alcançar o objetivo final e acabar com o efeito sanfona.


M.C.: Quais são, geralmente, os programas emocionais que levam as pessoas a comer exageradamente e engordar?

R.F.: Medo, insegurança, tristeza, angústia. São sentimentos que geram uma necessidade de proteção e o inconsciente entende que, com a ingestão de gordura, o contato com o mundo exterior fica mais mais distante.


Veja cinco dicas de Rodrigo Fonseca para para administrar a inteligência emocional e não engordar mais


RECONHEÇA O MAL QUE A GORDURA FAZ PARA VOCÊ

Não adianta alguém de fora dizer várias vezes que você está acima do peso e precisa emagrecer. Isso soará como se estivessem tentando alterar sua programação e aí o efeito é o contrário: mais gordura para se proteger desse agente externo. Por isso que é importante o próprio reconhecimento da real importância de perder peso para a saúde e para a vida social.


DECIDA MUDAR

Diga “eu vou mudar de verdade” e a partir daí tome decisões que te levem para um processo decisivo e definitivo de emagrecimento.


ANOTE OS PREJUÍZOS ACUMULADOS

Coloque no papel todos os danos que esses quilos a mais trazem para a sua vida. A vergonha do corpo, a roupa que não serve mais, vale tudo mesmo. Isso facilita a visualização dos problemas e impulsiona a mudar a situação.


ANOTE OS GANHOS

Aumento da autoestima, guarda-roupa novo, vida social mais agitada: assim como fez com os prejuízos, anote também os benefícios que terá com a perda de peso.


PROCURE AJUDA

Busque técnicas e terapias que identifiquem o que está causando determinado tipo de comportamento que te faz comer demais e engordar. É preciso mudar de dentro para fora e essa transformação começa a partir do inconsciente.


Fonte: Marie Claire

0 comentários:

Postar um comentário