segunda-feira, 6 de maio de 2013

RELAÇÃO ENTRE O PRAZER E A CULPA NA ALIMENTAÇÃO

Ao seguir uma dieta é comum a impressão de que tudo parece mais tentador. Algumas pessoas até mesmo afirmam que nunca sentem tanto sabor nos alimentos como quando escapam do regime. Essa percepção faz sentido: pesquisadores da Universidade Northwestern, em Illinois, comprovaram que a recompensa realmente é percebida como mais prazerosa quando é obtida com uma pontinha de culpa.

Em um estudo, distribuíram revistas aos voluntários. Metade delas tinha como tema saúde e estética. As outras tratavam de assuntos bem diversos, como política e cultura. Em seguida, todos os participantes ganharam uma barra de chocolate e foram informados de que participavam de um “teste de sabor” e que deveriam descrever suas impressões a respeito do doce. Conforme a autora, Kelly Goldsmith, relatou no The Journal of Market Research, as pessoas que leram o primeiro tipo de publicação avaliaram seu pedaço de chocolate como mais saboroso. Em outro estudo, ela dividiu 100 universitários em três grupos. Pediu que o primeiro escrevesse um parágrafo sobre uma vivência que despertava culpa, que o segundo dissertasse sobre algo que os magoava e o terceiro, sobre fatos aleatórios. Em seguida, todos os participantes ganharam uma trufa de chocolate e a comeram. Segundo a pesquisadora, o primeiro grupo foi o que mais se deliciou com o doce.

Para Kelly, a relação entre prazer e culpa vai além da comida. Isso ficou evidente em mais um experimento, no qual observou que mulheres comprometidas que sentiam remorso ao visualizar perfis de homens atraentes em sites de relacionamento também relatavam sentir mais satisfação na tarefa. “Prazer e culpa estão mais ligados do que se imagina. O problema é que, para algumas pessoas, essa associação é praticamente um padrão de comportamento, o que pode levá-las a experiências arriscadas”, diz a autora.


Fonte: Mente e Cérebro

0 comentários:

Postar um comentário