quinta-feira, 23 de maio de 2013

INVENTOR DO TDAH CONFESSA A FARSA DA DOENÇA

Felizmente, o presidente da Comissão Nacional Consultiva de Ética Biomédica (NEK) Otfried Höffe criticou o uso do medicamento Ritalina no seu parecer de 22 de novembro de 2011 intitulado Valorização Humana, por meio de agentes farmacológicos: O consumo de agentes farmacológicos que alteram o comportamento da criança, sem qualquer contribuição sobre a sua parte.


Que interferiu na liberdade da criança e dos seus direitos pessoais, uma vez que os agentes farmacológicos induziam alterações comportamentais, mas não conseguiam educar a criança sobre a forma de alcançar essas mudanças comportamentais de forma independente. A criança foi assim privada de uma experiência essencial: aprender a agir autonomamente e enfaticamente, o que "reduz consideravelmente a liberdade das crianças e prejudica o seu desenvolvimento da personalidade", a NEK criticado.

Os críticos alarmados do desastre Ritalina estão recebendo o apoio de um lado totalmente diferente. O semanário alemão Der Spiegel citou em sua reportagem de capa em 02 de fevereiro de 2012, o psiquiatra norte americano Leon Eisenberg, nascido em 1922 como filho de imigrantes judeus russos, que era o "pai científico de ADHD", teria dito com a idade de 87, sete meses antes de sua morte em sua última entrevista: "O TDAH é um excelente exemplo de uma doença fictícia"

ADHD HoaxDesde 1968, no entanto, cerca de 40 anos, a "doença" de Leon Eisenberg assombrado os manuais de diagnóstico e estatística, primeiro como "reação hipercinética da infância", agora chamado de "ADHD". O uso de medicamentos TDAH na Alemanha aumentou em apenas 18 anos de 34 kg (em 1993) para um registro de nada menos do que 1760 kg (em 2011) - o que representa um aumento de 51 vezes nas vendas!
Nos Estados Unidos uma em cada a cada dez crianças já toma algum medicamento ADHD em uma base diária. Com uma tendência crescente.

Quando se trata do repertório comprovado de Edward Bernays, o pai da propaganda, para vender a Primeira Guerra Mundial, para o seu povo, com a ajuda da psicanálise de seu tio e de distorcer a ciência ea fé na ciência para aumentar os lucros da indústria - o que acontece com investigando em cujo nome o "pai científico de ADHD", realizado a ciência? Sua carreira era extremamente íngreme, e sua "doença fictícia" levou os melhores aumentos de vendas. E depois de tudo, ele atuou no "Comitê para o DSM V e CID XII, American Psychiatric Association" 2006-2009. 

Afinal, Leon Eisenberg recebeu o "Prêmio Ruane da Criança e do Teen Psychiatry Research. 
Ele tem sido um líder em psiquiatria infantil há mais de 40 anos através de seu trabalho em ensaios farmacológicos, pesquisa, ensino, política e social e por suas teorias do autismo e da medicina social ".


Além do mais, Eisenberg era um membro do "Comitê Organizador da Mulher e da Conferência Medicina em Bahamas que ocorreu entre os dias 29 novembro - 3 dezembro de 2006, da Fundação Josiah Macy (2006)". 


A Fundação Josiah Macy organizou conferências com agentes da inteligência da OSS, mais tarde CIA, como Gregory Bateson e Heinz von Foerster e durante muito tempo após a Segunda Guerra Mundial. 


Ter esses grupos comercializado o diagnóstico de TDAH no serviço do mercado farmacêutico e feito sob medida para ele com um monte de propaganda e relações públicas? É esta questão que o psicólogo americano Lisa Cosgrove e outros investigados em seus estudos laços financeiros entre DSM-IV Membros do Painel ea Industry7 Farmacêutica. Eles descobriram que "Dos 170 membros do painel DSM 95 (56%) tiveram uma ou mais associações financeiras com empresas da indústria farmacêutica. Cem por cento dos membros dos painéis sobre "Transtornos do Humor" e "esquizofrenia e outros transtornos psicóticos 'tinha vínculos financeiros com empresas farmacêuticas. As conexões são especialmente fortes nas áreas de diagnóstico, onde as drogas são a primeira linha de tratamento para transtornos mentais. "Na edição seguinte do manual, a situação manteve-se inalterada. "Dos 137 membros do painel que postaram declarações de divulgação, 56% relataram laços da indústria - sem melhoria em relação ao por cento dos membros do DSM-IV." "O próprio vocabulário da psiquiatria é agora definida em todos os níveis da indústria farmacêutica , "disse o Dr. Irwin Savodnik, professor clínico assistente de psiquiatria na Universidade da Califórnia, em Los Angeles.
ADHD Hoax

Apenas um exemplo: O Diretor-Assistente da Unidade de Psicofarmacologia Pediátrica do Hospital Geral de Massachusetts e professor associado de psiquiatria na Harvard Medical School recebido "$ 1 milhão em ganhos de empresas farmacêuticas, entre 2000 e 2007." 

Em qualquer caso, não se pode chegar facilmente ao redor do testemunho do pai de TDAH: "O TDAH é um excelente exemplo de uma doença fictícia".


A tarefa de psicólogos, educadores e médicos não é colocar as crianças no "lead química", porque toda a sociedade não consegue lidar com os produtos de suas teorias equivocadas do homem e da criação dos filhos, e, em vez de erntregarmos nossos filhos nas mãos do mercado farmacêutico livre. 

Voltemos à questão básica da psicologia pessoal e educação: A criança é a aquisição de responsabilidade pessoal e comportamento enfático sob orientação especializada - e isso leva a família ea escola: Nestes campos, a criança deve ser capaz de conduzir fora mentalmente. Este constitui o núcleo da pessoa humana.


Tradução livre da página: Worldpublicunion.org



13 comentários:

  1. É um absurdo! Prefiro deixar para os colegas PSICÓLOGOS ,desvendarem ,qual a lógica...é um ser humano em jogo...

    ResponderExcluir
  2. Informação incorreta, é um boato notório e desmascarado: http://www.snopes.com/politics/quotes/adhd.asp

    ResponderExcluir
  3. "Quando se trata do repertório comprovado de Edward Bernays, o pai da propaganda, para vender a Primeira Guerra Mundial, para o seu povo, com a ajuda da psicanálise de seu tio e de distorcer a ciência e a fé na ciência para aumentar os lucros da indústria - o que acontece com investigando em cujo nome o "pai científico de ADHD", realizado a ciência?"...
    A resposta ainda está no conhecimento científico, consistente, sujeito a avaliação dos pares, a replicação, ao teste de hipóteses. Não acredito que não exista TDAH, e sim que é superestimada. Como analista do comportamento e tendo como fundamento a filosofia do Behaviorismo Radical, não me interesso por sintomas, que são apenas topografias do comportamento e nada querem dizer de forma isolada

    ResponderExcluir
  4. uso abuso de ritalina pode gerar uma doença FEOCROMOCITOMA QUE UMA DOENÇA QUANDO A NORADRENALINA ADRENALINA E DOPAMINA ESTA ELAVADO LEVANDO COM USO ELEVADO DE RITALINA A AVC PRESSÃO ALTA.

    ResponderExcluir
  5. O que é preocupante são as interpretações fáceis de profissionais que se utilizam do medicamento para exercer a profissão.

    ResponderExcluir
  6. Gente, quem traduziu este artigo? O Google Translate sozinho? Pelo amor de deus, façam uma revisão!

    ResponderExcluir
  7. TDAH não existe, eu sou profissional da saude, nunca ouvi aula disso na faculdade. Dizem que existem neurotrasmissores que levam mensagens pelo cerebro, nunca vi, os cadavares da aula de anatomia não tinham nada se movendo. Essas pessoas não tem TDAH,elas são desse jeito, é a personalidade delas, não precisam de tratamento

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ta de brincadeira né ? kkkkkkkkkkkkk

      Excluir
  8. Oi pessoal,

    Para todos aqueles que não sabem alemão, que usaram o google ou qualquer outro tradutor online, ou até para os que tem curiosidade pra saber o que diz a matéria original do DER SPIEGEL, ( http://www.spiegel.de/spiegel/print/d-83865282.html ) que fala do tal transtorno TDAH, resolvi traduzir essa polemica entrevista.

    A matéria é enorme como vocês poderão ver no link acima, mas ela fala de vários outros transtornos/distúrbios e doenças e a como a indústria farmacêutica tira proveito disso. Porém eu vou traduzir só a parte que está sendo discutida nos comentários.

    - Incicio da tradução -

    Eisenberg afirma que ele INVENTOU a doença. E que se distancia dela agora. Jamais ele - Eisenberg- pensou que a sua INVENÇÃO fosse se tornar tão popular " aquilo que chamou de seu " pecado".

    " À noite, o médico brincava em casa com seus próprios filhos ; durante o dia, ele tratou de estudantes problemáticos - e experimentou drogas psicotrópicas. Inicialmente, ele experimentou com a dextroanfetamina , mais tarde ele prescreveu metilfenidato. E eis que: Os meios alteraram o comportamento ; crianças temperamentais se tornaram dóceis .

    Em um seminário da Organização Mundial da Saúde, ele e seu colega Mike Rutter lutaram, portanto , para tornar o alegado distúrbio cerebral como uma doença na lista de transtornos psiquiátricos.

    E assim surgiu no mundo uma doença que agradava a muitos. A idéia de que o TDAH tem causas genéticas e que se nasce com ele , trouxe alívio aos pais. Na educação não poderia estar o problema, caso o seu filho não funcionasse como se desejava. "O TDAH é um excelente exemplo de uma doença fabricada", disse Eisenberg "A predisposição genética para o TDAH é completamente superestimada. Em vez disso, um psiquiatra infantil deve investigar mais profundamente as razões psicossociais que podem levar a problemas de comportamento. Há brigas com os pais, a mãe e o pai vivem juntos, há problemas na família? Tais questões são importantes, mas isso estava tomando muito tempo", disse Eisenberg , acrescentando com um suspiro: "Por outro lado, prescreve-se uma pílula muito rapidamente".

    - Fim da tradução -

    Espero que tenha ajudado. Boa noite a todos!


    ResponderExcluir
  9. Tenho TDAH acabei de ler 30 posts em pouco tempo, graças ao medicamento. É real e faz total diferença quando fico sem tomar o remédio.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vc se tornou dependente da medicação. É exatamente oq ela faz. Caso nunca a tivesse ingerido , vc poderia ter aprendido a lidar com esta caracteristica desde criança... Artes Marciais por exemplo , ensinam a focar. tenho 30 anos de prática e sei do que falo. Um abraço e procure algo pra aprender a lidar com a sua dificuldade , que é grande esu sei , e bem real. Difícil não é impossível!

      Excluir
    2. Henrique, você está errado!

      Cheguei aos 29 anos destroçado por uma sequência infindável de fracassos em termos profissionais e pessoais devido ao TDAH.
      No meu caso, por causa de um elevado QI, a hiperatividade e o déficit de atenção não foram tão prejudiciais às minhas notas na escola, mas sempre fui fortemente repreendido pelo comportamento. E justamente por não haver problemas com notas, passei a vida sendo taxado de mal educado, sem noção, emocionalmente instável etc.
      Durante os anos, minha carreira afundou repetidas vezes, pois sempre era contratado, sempre era um dos mais produtivos e, ainda sim, acabava demitido por não conseguir manter um "comportamento adequado" ao mundo corporativo.
      Fui, por muitas vezes, execrado publicamente nessas empresas que passei.
      Os anos seguiam e eu era incapaz de perceber o que me acontecia. Até meu casamento afundou...
      Pensava em coisas como: para que eu sirvo???; não sou capaz de viver em sociedade!!!; sou incapaz de viver sem me destruir com atitudes impensadas!!!
      Passei por vários psiquiatras e psicólogos, até que, aos 30 anos, uma psicóloga levantou a suspeita do TDAH e me encaminhou para uma psiquiatra.
      Foi quando comecei a usar a Ritalina. Sou profundamente grato pela existência desse medicamento e pelo diagnóstico que tive.
      Hoje, consigo pensar antes de falar ou agir. Consigo sentar-me em uma reunião e nela ficar até o fim. Começo e termino coisas!!!!
      Agora meus sonhos profissionais se realizam, sou capaz de ter um relacionamento saudável!
      E sim, me trato com uma psicóloga há anos, por isso posso dizer, o TDAH é físico, é biológico! Tentei ficar sem os medicamentos e, por mais que eu tivesse consciência da minha condição e tentasse controlá-la (seja por meio de exercícios, psicoterapia, medicina alternativa, yoga e meditação), não era possível fazê-lo sem o medicamento!
      Aos que leram este texto, saibam que há muitos outros como eu que dependem da Ritalina para ter um mínimo de qualidade de vida!!!

      Excluir
  10. Povinho, parem de discutir e trocar farpas. As doenças podem até existir "transtornos, síndromes", etc., etc., mas o que está em jogo é se as drogas podem curara as pessoas de algo ou podem piorar e escamotear os quadros. Bem falou sabiamente o HIPNOTERAPEUTA... se vcs lessem mais sobre a mente saberiam que há coisas tão surpreendentes que nem a nossa medicina atual e ocidentalizada pode explicar. Saudações gerais. E estudem mais...

    ResponderExcluir