terça-feira, 14 de maio de 2013

DESENVOLVIMENTO SEXUAL: DESCOBERTAS SEXUAIS NA INFÂNCIAS

Por Janaina Ribeiro


A teoria da sexualidade infantil sempre gerou polêmica. Talvez isso aconteça do ponto de vista como alguém a interprete.

Obviamente que do ponto de vista biológico um bebê ou uma criança em idade pré -escolar é "imatura" tanto sexual quanto emocionalmente, em comparação com um adulto capaz de reproduzir e ter sentimentos paternais. Entretanto, do ponto de vista psicológico, a sexualidade de uma criança é importante. Pois desde cedo as crianças revelam ter sensibilidade na área genital, ou demonstram interesse por brinquedos com apelo sexual e percebem a atitude de outras crianças e/ou dos adultos em relação ao sexo.

É nesta fase que estão passando por experiências que podem ter significativa  influência sobre suas próprias atitudes e formas de se comportar. Porém,muitas crianças ocultam o seu interesse pelo sexo perante os adultos, mas grande parte das crianças acabam por se tornarem curiosas a respeito da reprodução, e a forma de sua curiosidade  ou o tipo de informação que procuram tem probabilidade de variar segundo o seu amadurecimento.

Além das possíveis explicações para as crianças sentirem curiosidade pelo sexo, outros fatores como: observar o comportamento sexual dos animais e de pessoas, ficar exposta aos ataques de outras crianças ou adultos, entregar-se a jogos sexuais em particular, ou entrar em jogos sexuais com companheiros; podem despertar tal curiosidade.

Isso faz com que experiências de masturbação comecem cada vez  mais cedo. Antes o que era mais comum entre garotos passa a ser comum também entre garotas. Esse tipo de comportamento, evidentemente varia de acordo com os grupos socioeconômicos, além de outros determinantes como a cultura e a religião.

Verificações como essas, embora tratem apenas um aspecto limitado do comportamento sexual, mostram de maneira impressionante, que uma grande proporção das crianças em idade escolar têm experiências com aspectos físicos do sexo, que  vão além do interesse passivo e acadêmico delas.

0 comentários:

Postar um comentário