sábado, 11 de maio de 2013

COMO O CÉREBRO APRENDE?


Por Marta Relvas


"Aprendizagem requer prática rigorosa. Somente se consegue construir uma consolidação ou fortalecer as conexões neurais para a habilidade de um determinado assunto praticando intensamente em um período de tempo"


Segundo as pesquisas sobre Neurociência Cognitiva, alguns fatores são fundamentais para que aconteça a aprendizagem:

A memória, atenção e interesse são fatores fundamentais para o aprendizado.

Por isso, vale algumas dicas importantes para professores, educadores, pais e estudantes reconhecerem como o cérebro assimila as informações e transforma-as em aprendizado e conhecimento.

1ª) Frequência

Os caminhos neurais precisam ser construídos e crescer fortalecidos e consolidados por uma exposição repetida à aprendizagem.

Por exemplo: Quanto mais uma pessoa lê, melhor ela lerá. Do mesmo modo, se você se exercita ocasionalmente, não fortalecerá seus músculos. No entanto, se realizar os exercícios regularmente, provavelmente, conseguirá seu nível desejado de preparo físico.

2ª) Intensidade

Aprendizagem requer prática rigorosa. Somente se consegue construir uma consolidação ou fortalecer as conexões neurais para a habilidade de um determinado assunto praticando intensamente em um período de tempo.

No caso de um atleta de maratona, por exemplo, seus exercícios têm que ser intensos para preparar o corpo para corrida.

3ª) Treinamento conectado

A aprendizagem requer conexões neurais fortes já existentes para serem conectadas às outras novas redes de informações que virão. Essas conexões neurais deverão ser diversificadas e viabilizadas em diferentes tipos de recursos e habilidades relacionadas aos significados previamente já existentes.

A aprendizagem se faz necessária com a pergunta: Para quê saber isso? Qual a aplicação para o cotidiano? O que essa aprendizagem modifica ou transforma o meu modo de pensar?

4ª) Adaptabilidade

Significa que o assunto deverá ser ajustado à situação da aprendizagem da necessidade do grupo, ou seja, ao potencial de aprendizagem de cada um. Sem dúvida essa adaptação deverá ser organizada com recursos e metodologias pedagógicas diferentes, considerando que as pessoas são diferentes, respondem aos estímulos diferentemente e que possuem uma neuropsicofisiologia própria e funcionante.

5ª) Motivação e atenção

São esses fatores que mantêm os estudantes interessados na aprendizagem. Estratégias diferenciadas mantêm os estudantes envolvidos na atividade proposta, desde que o assunto desperte seus desejos em aprender. Por isso a tarefa do professor ou educador é mostrar o encantamento do assunto emoldurado com "pitadas" de afetos e emoções, sobre uma determinada informação, podendo também usar o lúdico como ferramenta para responder, o para quê e o porquê daquele assunto ser importante para a vida e o cotidiano do estudante.

0 comentários:

Postar um comentário