sábado, 1 de dezembro de 2012

SER CONTROLADO OU CONTROLAR?


Por Tatiana Ades


"O controle excessivo é uma doença séria que deve ser tratada com medicamentos e ajuda terapêutica"



Muitas mulheres creem na falsa ideia de que o controle que seu parceiro atua sobre ela está ligado ao amor, preocupação e desejo.

No entanto, controle nada tem a ver com amor, pelo contrário, é uma forma agressiva de ter para si mesmo um objeto de prazer, objeto esse que não pode sair da linha, senão deverá ser castigado.

O controle está ligado à necessidade que alguém possui de sentir-se superior. Geralmente essas pessoas são manipuladoras, sádicas e em alguns casos possuem uma autoestima baixíssima. Por isso, recorrem ao “poder sobre o outro” para sentirem-se melhores consigo mesmas.


RELATOS

Ana Karina (nome fictício) chegou ao meu consultório reclamando do controle que seu marido exercia em sua vida. Ela conta-me preocupada que ele chega a controlar o que ela veste, come, com quem pode ou não sair, quem são os amigos corretos e com quem da família ela deve manter contato ou não.

Percebam que o marido de Ana está egoisticamente adaptando a vida dela aos seus desejos e necessidades. De forma alguma ele está preocupado e com boas intenções de estar em um relacionamento saudável e de troca.

Outro paciente reclama da falta de liberdade com a namorada. Danil (nome fictício) diz que recebe ligações dela o dia inteiro, exigindo explicações de onde está, com quem está e o que está fazendo. Ele descobriu que ela usa suas senhas pessoais (descobertas por ela) para acessar suas redes sociais, contatos virtuais e que inclusive exigiu que ela pudesse ligar para todas as mulheres amigas dele e conferir quem realmente eram.


SER CONTROLADOR OU DEIXAR-SE CONTROLAR: QUAL É A PIOR DOENÇA?

Ambas se encaixam e são perigosíssimas, uma vez que o controlador recebe a informação do controlado de que ele pode ir além. A situação torna-se caótica e podemos chegar a extremos com severas punições como agressões físicas, verbais e emocionais.

Lembre-se bem de que controle nada tem de sinônimo com preocupação sincera, amor, carinho e afinidade. O controle excessivo é uma doença séria que deve ser tratada com medicamentos e ajuda terapêutica.

Se você se identifica com um controlador ou um controlado, repense suas atitudes e tende entender o que ocasionou essa dinâmica substituindo o companheirismo pelo sentimento de posse.



Perfil do controlador
Perfil do controlado
- Egoísta;
- Manipulador;
- Frio;
- Ansioso;
- Impulsivo;
- Às vezes agressivo;
- Egocêntrico.
- Depressivo;
- Baixa autoestima;
- Tendência a relações simbióticas e problemáticas;
- Personalidade dependente (sozinho não se suporta)
- Compulsivo em diversos casos (álcool, sexo, etc.).



Um amor só é real quando duas unidades se completam formando assim uma só. Um jogo de manipulação e poder é o avesso do amor. Controlar é não respeitar a individualidade do outro e deixar-se controlar é estar doente sem ao menos perceber.

Pense nisso! 


Fonte: Amor Passional


0 comentários:

Postar um comentário