quarta-feira, 30 de maio de 2012

SERÁ QUE VOCÊ SABE O QUE É TDAH?

O QUE É TRANSTORNO DO DÉFICIT DE ATENÇÃO E HIPERATIVIDADE - TDAH?


COMO ESSAS CRIANÇAS SE COMPORTAM?

O TDAH caracteriza-se, principalmente, pela disfunção em três áreas de funcionamento: sustentação da atenção, agitação excessiva e auto-regulação de impulsos. Ou seja, de uma maneira geral, os portadores apresentam dificuldade de fixar atenção, apresentam um comportamento mais agitado que seus pares de mesma idade e têm grande dificuldade em pensar antes de agir.


AS PRINCIPAIS CARACTERÍSTICAS DE DESATENÇÃO SÃO:

    * Dificuldade de prestar atenção a detalhes ou errar por descuido em atividades escolares e de trabalho;
    * Dificuldade para manter a atenção em tarefas e atividades lúdicas;
    * Parecer não escutar quando lhe dirigem a palavra;
    * Não seguir instruções e não terminar tarefas escolares, domésticas ou deveres profissionais;
    * Dificuldade em organizar tarefas e atividades;
    * Evitar ou relutar em envolver-se em tarefas que exijam esforço mental constante (como tarefas escolares ou deveres de casa);
    * Perder coisas necessárias para realização de atividades (p.e.:brinquedos, tarefas escolares, lápis, livros ou outros materiais);
    * Ser distraído por estímulos alheios à tarefa e apresentar esquecimentos em atividades diárias.


A HIPERATIVIDADE/IMPULSIVIDADE CARACTARIZA-SE POR:

    * Agitar mãos e pés ou se remexer na cadeira;
    * Abandonar sua cadeira em sala de aula ou outras situações nas quais se espera que permaneça sentado;
    * Correr ou escalar em demasia, em situações nas quais isto é inapropriado; dificuldade em brincar ou envolver-se silenciosamente em atividades de lazer;
    * Estar freqüentemente "à mil" ou muitas vezes agir como se estivesse "a todo vapor";
    * Falar em demasia.
    * Freqüentemente responder de forma precipitada antes das perguntas terem sido concluídas;
    * Com freqüência tem dificuldade em esperar a vez e, freqüentemente interrompe ou se intromete em assuntos de outros.


Como é feito o Diagnóstico?
 
Para que seja feito o diagnóstico do TDAH é necessário, no mínimo, uma entrevista com um médico ou psicólogo, na qual verifica-se o grau de comprometimento que os comportamentos característicos do transtorno causam no funcionamento do portador no seu dia-a-dia. Ou seja, é importante verificar se as características de desatenção e/ou hiperatividade/impulsividade apresentadas pelo portador atrapalham seu convívio em casa, com amigos ou seu rendimento na escola/trabalho.

São identificados 3 subtipos de TDAH: o subtipo Desatento quando predominam os sintomas de desatenção; o subtipo Hiperativo/Impulsivo quando predominam os sintomas de hiperatividade e impulsividade e, ainda, o subtipo combinado quando existem sintomas de desatenção e hiperatividade/impulsividade. Isto quer dizer que podem existir crianças com TDAH com características apenas de desatenção, outras hiperativas e, ainda, outras desatentas e hiperativas.


FREQUÊNCIA NA POPULAÇÃO MUNDIAL
No Japão existe uma incidência do transtorno em cerca de 7% da população geral, na China, uma incidência de 6 a 8% e, na nova Zelândia, uma incidência de 7%. Aqui no Brasil, observou-se uma incidência de 3 a 6% na população em idade escolar. Isso significa que existe grande probabilidade de numa turma de 30 alunos pelo menos um desses ser portador de TDAH.

 
ADULTOS TAMBÉM RECEBEM O DIAGNÓSTICO

Desde o final da década de 70 discute-se a persistência do TDAH na idade adulta (Hallowell & Ratey, 1999). Em estudo recente, Barkley & Fischer et al. (2002) demonstraram que se observa uma incidência entre 46 e 66% de TDAH residual na idade adulta, desde que, para o diagnóstico, seja utilizada uma entrevista com uma pessoa de convívio próximo além, é claro, da entrevista com o próprio portador.

Portanto, o TDAH é um transtorno cujos primeiros sintomas aparecem na infância e persistem durante a vida adulta. Se o portador receber o tratamento adequado o grau de comprometimento no seu dia-a-dia será minimizado. Em contrapartida, a falta de tratamento pode causar prejuízos significativos no seu desenvolvimento psicossocial.


Um comentário:

  1. Sempre leio a respeito de TDAH, gostaria que me indicassem algo para aliviar meu desgaste físico e emocional por ter um filho de 15 anos e um marido com TDAH.

    Grata

    Maria José
    chereghini@ig.com.br

    ResponderExcluir