sexta-feira, 27 de abril de 2012

O QUE VOCÊ TEM A VER COM A CORRUPÇÃO?

Por Dann Toledo




No último dia 21 de abril, foi dado um minúsculo grande passo em direção à liberdade política em nosso país.

O Dia do Basta, como a mobilização foi denominada, levou às ruas de todo o país milhares de pessoas. Em todos os estados da Federação, em diversas cidades, o povo saiu às ruas. Caras foram pintadas, músicas foram entoadas, faixas levantadas e assim foi dado um "peteleco" nas orelhas da nossa sociedade.

Todavia, ainda não conseguimos alcançar a tão sonhada e utópica mudança em nosso cenário político. Ao pensarmos em corrupção, normalmente pensamos em escândalos com nossos legisladores e com os que ocupam os cargos executivos.

Devemos levar em consideração que a corrupção assim como a moralidade, começa dentro de nosso próprio self . Somos seres políticos e sociais, com isso, é nosso dever nos policiar em nossos pequenos atos, para que assim possamos cobrar dos outros uma mudança que dantes já tenhamos no mínimo começado a internalizar.

Todas as vezes que pedimos favores de formas obscuras, mesmo que venhamos pensar que não há nada de mais nisso, estamos sim sendo corruptos. O nosso tão amado jeitinho brasileiro, nada mais é do que uma forma de burlarmos o sistema de regras e com isso, nos tornarmos aquilo que dizemos repudiar; corruptos.

Uma campanha do Minitério Público denominada "O que você tem a ver com a corrupção?" trata justamente sobre isso: Como nossos atos mais simples e muitas vezes ditos inocentes e normais podem ser atos corruptos. Pedir que o guarda de trânsito libere o carro numa blitz mesmo estando irregular, levar um atestado médico no trabalho sem que realmente tenha estado doente, falar para um colega assinar a lista de presença no colégio, faculdade ou bater teu cartão no trabalho. Tudo isso nada mais é do que corrupção.

Com tudo isso, se queremos realmente mudar o cenário de corrupção que toma conta do Brasil, devemos primeiro começar por nós mesmos, pelas nossas casas, pelos nossos atos!


0 comentários:

Postar um comentário