sábado, 14 de janeiro de 2012

SERÁ QUE VOCÊ SOFRE BURNOUT?


A Portaria nº.1339/99 (BRASIL, 1999) inclui a síndrome de burnout na lista de transtornos mentais e do comportamento relacionados ao trabalho no grupo das doenças consideradas de etiologia múltipla, em que o trabalho aparece como fator contributivo, o que facilita a justificativa para emissão de CAT - Comunicação de Acidente de Trabalho.


A Síndrome do burnout (fogo descontrolado, em inglês) foi o tema mais discutido no III Congresso Internacional de Stress da ISMA-BR e V Fórum Internacional de Qualidade de Vida no Trabalho, que aconteceu 2003, na cidade de Porto Alegre (RS).



As doenças causadas pelo excesso de trabalho custam, aos 15 estados membros da união européia, cerca de 300 bilhões de dólares por ano ao sistema de saúde. Nos EUA estimam que mais de10% dos gestores e executivos são vítimas.




Atinge principalmente profissionais:


- Idealistas, 

- Exigentes consigo mesmos,

- Dedicados, 

- Submetidos às situações difíceis e competitivas

- Sujeitos a desorganização,

- Compensação salarial inferior, 
- Poucas perspectivas de promoção,
- Alvo de assédio moral  



Diferente do ESTRESSE que causa ansiedade, angustia, depressão, dores de cabeça, gastrite, insônia, os sintomas de Burnout são:


- Exaustão emocional 

- Apatia extrema

- Ausências no trabalho  
- Postura cínica e rude despersonalização, 
- Avaliação negativa de si mesmo, depressão 
- Insensibilidade 
- Comportamento agressivo e irritadiço.



Alguns profissionais, são mais acometidos da síndrome que possuem contatos interpessoais:


- médicos, psicanalistas, carcereiros, assistentes sociais, comerciários, professores, - - atendentes públicos, enfermeiros, funcionários de departamento pessoal, telemarketing, bombeiros. 

- Profissionais que interagem de forma ativa com pessoas, que cuidam e/ou solucionam problemas de outras pessoas 



Isso gera algumas consequências institucionais, tais como:


- Absenteísmo, 

- Diminuição do nível de satisfação profissional, 

- Aumento das condutas de risco, 
- Inconstância de empregos, 
- Repercussões na esfera familiar


O termo ‘Burnout’ foi criado pelo psiquiatra inglês Herbert Freundenberg em 1974, quando começou a observar o intenso desgaste físico e emocional dos profissionais que trabalhavam na recuperação de dependentes químicos. A inspiração partiu do título do romance ‘A Burnt-Out Case’ (‘Um Caso Liqüidado’), de Graham Greene. Num trecho, o protagonista Querry diz: "Não me resta praticamente nenhum sentimento pelos seres humanos a não ser pena". 



Nos anos 80, a psicóloga americana Christina Maslach realizou um estudo com profissionais da área médica, com o intuito de identificar o modo como lidam com o aspecto emocional do trabalho. Nele, identificou a ‘despersonalização’ como um dos mais evidentes sintomas do Burnout. Em outras palavras: o profissional passa a ignorar chefes, colegas e clientes e a desenvolver características negativas, como cinismo e indiferença. 



Gíria Inglesa Burnout identifica os usuários de drogas que se deixaram consumir pelo vício. A expressão significa ‘combustão completa’ 



A Portaria nº.1339/99 (BRASIL, 1999) inclui a síndrome de burnout na lista de transtornos mentais e do comportamento relacionados ao trabalho no grupo das doenças consideradas de etiologia múltipla, em que o trabalho aparece como fator contributivo, o que facilita a justificativa para emissão de CAT - Comunicação de Acidente de Trabalho. 





Combatendo o burnout



Aspectos médicos ou psicológicos  - análise de cada caso específico



Medicação – ansiolítico e/ou antidepressivo



Psicoterapia e coaching



Aspectos do ambiente profissional – análise de Recursos Humanos



- Identifique as atividades que o colaborador gosta(va) 

- Verifique os relacionamentos interpessoais
- Favoreça novos relacionamentos
- Faça um balanço de suas atividades 
- Dê tarefas que o façam se sentir produtivo 
- Ajude-o a atualizar o currículo




Para Lennart Levi, médico sueco e especialista no assunto, o alto esforço e a baixa gratificação são alguns dos fatores que levam ao problema. E a solução está em ações integradas, que vão do comprometimento de cada um — ao tentar estabelecer um estilo mais saudável — ao envolvimento do governo, que deveria abraçar políticas de prevenção aos altos níveis de stress. 



Quem também mostrou que dá para prevenir o burnout foi o executivo da Volvo Logística da Suécia, Kenneth Berndtsson, vice-presidente de Recursos Humanos da empresa, que esteve no Brasil pela primeira vez. 



Na Volvo, Berndtsson desenvolveu um programa de combate ao burnout entre os principais executivos e acredita que medidas simples, como a conscientização sobre a quebra do ciclo do excesso de trabalho e a prática regular de uma atividade física, podem ajudar a reverter problemas causados pelos altos níveis de stress. 



Como resultado, nos últimos três anos, desde que o programa foi implantado, nenhum executivo apresentou burnout. Com isso, Berndtsson acredita que a economia para a Volvo tenha sido de 17 milhões de dólares, referente ao não-afastamento por seis meses dos executivos. 





Burnout em Operários:



- Serviço extremamente repetitivo e pesado

- Comprometimento da saúde física 
- Carregamento excessivo de peso
- Muitas horas de trabalho
- Sadismo psicológico
- Arbitrariedade nas promoções
- Coordenadores e gerentes dão ordens contraditórias
- Não tem o respeito dos funcionários
- Lideram pela ameaça implícita de que podem punir e humilhar os trabalhadores
- Sistema de trabalho montado em cima da exploração dos trabalhadores 
- Arbitrariedade mais extrema das chefias para impor a exploração
- Humilhação e brutalidade dos funcionários é a causa da perda de saúde





Como se defender neste cenário



- Buscar o auto conhecimento 

- Atender apenas desafios possíveis 
- Observar se os demais estão percebendo
- Receber “feed back” observando o tom de voz e atitude corporal 
- Fazer perguntas sobre o “Feed Back” baseadas em fatos e diante de outras pessoas
- Reconhecer a omissão coletiva
- Fortalecer as relações com os colegas




Estabelecer os indicadores de resultado antes de aceitar uma tarefa



- Factível

- Factível aceitável
- Factível desejável
- Factível excepcional 





Objetivar a relação das metas com os indicadores



- Atender a meta

- Superar a meta
- Multiplicar a meta
- Atingir um resultado inusitado, inesperado, imprevisto.





Evitando ser vítima



- Fazer o melhor, 

- Do melhor jeito,
- De um jeito pessoal
- Na melhor hora





Argumentando quanto vitimizado



- Já foi feito e aperfeiçoei

- Tornei mais eficaz
- Facilmente replicável
- Visão de contexto 





Formas de violência psicológicas



- Danos morais

- Abuso de poder
- Hostilidade generalizada




2 comentários:

  1. Este blog é uma representação exata de competências. Eu gosto da sua recomendação. Um grande conceito que reflete os pensamentos do escritor. Consultoria RH

    ResponderExcluir
  2. Obrigado Luiz, ficamos feliz por poder atender as expectativas de nossos leitores, com informações pertinentes à Classe!

    ResponderExcluir