quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

A Psicanálise dos Contos de Fadas.


A LUTA PELO SIGNIFICADO

Os que não encontram significado nas suas vidas perdem o gosto de viver e entram em depressão : a vida,para eles, perdeu o sabor, não possui o mínimo dos significados.Há todo um processo para a compreensão do significado da vida e que se inicia na mais tenra infância e não subitamente.A compreensão deste significado nos conduz á maturidade psicológica.
Os pais,na sua grande maioria, exigem que as suas crianças pensem como eles pensam se esquecendo de que este é um processo gradativo que se inicia na infância.É o mesmo que se exigir da criança que comande o crescimento do seu corpinho, imediatamente.

Uma das tarefas primordiais entregues aos pais é a de ajudar os seus filhos a encontrarem significados na vida.Com o seu desenvolvimento centrado no melhor entendimento de si mesma,a criança se capacita para uma melhor compreensão em relação ás pessoas e ao seu meio ambiente.A criança necessita,urgentemente, do PENSAMENTO MÀGICO contido nos " Contos De Fadas" que falam "dos problemas interiores dos seres humanos e sobre as soluções corretas para seus predicamentos em qualquer sociedade", diz um psicanalista especialisado em crianças problemáticas.

"Os "Contos De Fadas" são significativos para a criança que ainda não consegue compreender o sentido dos conceitos éticos abstratos.Eles trazem mensagens á mente consciente, á pré,consciente e á inconsciente,em qualquer nível que a mente esteja funcionando no momento.Lidando com problemas humanos universais,particularmente os que preocupam o pensamento da criança,estas estórias falam ao ego em germinação e encorajam o seu desenvolvimento,enquanto aliviam as pressões pré-conscientes e inconscientes.À medida que as estórias se desenrolam, dão validade e corpo ás pressões do id, mostrando caminhos para satisfaze-las e que estão de acordo com as requisições do ego e do superego. " Dr. Bruno Bettelheim.

E o Dr. Bettelheim prossegue: " A mensagem dos "Contos De Fadas" transmitem o seguinte recado ás crianças e de uma forma múltipla : que uma luta contra dificuldades graves na vida é inevitável,é parte intrínseca da existência humana - mas que se a pessoa não se intimida mas se defronta de modo firme com as opressões inesperadas e muitas vezes injustas,ela dominará todos os obstáculos e, ao fim, emergirá vitoriosa."


A PERPLEXIDADE EXISTENCIAL

Aprendendo e sabendo o que acontece dentro do seu " eu inconsciente ",quando vai enfrentar as "dores" do crescimento psicológico : decepções narcisistas , dilemas édipicos, rivalidades com os irmãos, dependências mantidas desde a tenra infância, a criança precisa se cercar dos sentimentos de auto- avaliação e de individualidade além de um sentido de obrigação moral.Como uma criança realizaria estas façanhas ?
Através da sua fantasia, quando se perde nos seus devaneios a respeito do que disseram ao seu inconsciente os heróis da estórias de fadas.A criança irá adequar ás pressões do seu inconsciente ás suas fantasias conscientes o que irá capacita-la a lidar com todo este conteúdo.


A FORMA E A ESTRUTURA DOS CONTOS DE FADAS

São um fator importante por fornecerem á criança as bases onde estruturar os seus devaneios e o aprendizado ,de lhes fornecer também um melhor direcionamento á sua vida." Na criança e no adulto,o inconsciente é um determinante poderoso do comportamento."
Quando se consegue que a imaginação trabalhe o material fornecido pelo inconsciente , danos potenciais serão reduzidos e acontecem resultados muito positivos.
Passamos para os nossos filhos imagens muito distorcidas da realidade da vida , nós não lhes ensinamos que somos os únicos responsáveis pelos nossos fracassos ou insucessos.Nós lhes inculcamos a idéia de que todo o ser humano é bom e nenhum deles é agressivo, egoísta, sente raiva ou ansiedade e que estas são algumas das causas de muitos fracassos.A criança SABE muito bem que esta não é a verdade!Ouvindo os pais afirmarem a Bondade Universal e já conhecendo um pouco mais,a criança irá se sentir como se fosse ,ela própria,um monstro fabricado pela natureza...ou que os seus pais mentem e que não pode confiar neles!

A criança tem que aprender que há um lado escuro em todo o ser humano.Freud criou a psicanálise,exatamente,"para capacitar o homem a aceitar a natureza problemática da vida sem ser derrotado por ela ou levado ao escapismo.Só lutando corajosamente contra o que parecem ser probabilidades sobrepujantes o homem pode ter sucesso emextrair um sentido da sua existência."
Os "Contos De Fadas"ajudam á criança a fazer a sua opção sobre quem ela quer ser e facilitam o desenvolvimento ulterior da sua personalidade que irá ser construída.



5 comentários:

  1. Eu sou contra a ideia de que os desenhos sejam bons para as crianças, alguns podem até ser sim, mas eles muitas das vezes iludem as crianças, num mundo em que o final é sempre feliz, que o princepe é perfeito, que o bem ganha sempre em todas as lutas, as princesas são muito mais do que belas, perfeitas, magras, meigas... Com isso acredito eu, que as crianças crescem frustradas e cheias de duvidas, por um lado a perfeição,por outro a violência das lutas... As meninas crescem achando que não são "princesas" e buscando os princepes perfeitos, sem defeitos, e como nos desenhos o bem sempre vence, crescem e não sabem aceitar as derrotas da vida...
    Patrícia _ estudante de Psicologia.

    ResponderExcluir
  2. Acredito que as crianças precisam ter sim a magia que os contos de fadas trazem. Se para alguns o problema dos contos de fadas é fazer com que as crianças na vida adulta façam uma associação com as historias, e acreditem que sempre é o bem que ganha, ou que existe príncipe encantado, ser submissa a um príncipe ou ainda querer ser bela como uma princesa, podemos recorrer aos contos de hoje em dia, por exemplo, o do Sherek que nós mostra que a beleza exterior não é tudo e que também podemos ceder em alguma parte para sermos felizes! Bom, esta é a minha opinião.
    Ataiana de Araújo- estudante de Psicologia

    ResponderExcluir
  3. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  4. Boa Noite a todo(as).

    A psicologia revela segredos que muitas vezes são "perturbadores" em histórias que nos embalam desde o berço. Sabemos que muitas questões ajudam a construir o caráter das crianças. Acreditar em princesas e príncipes faz parte da infância, fantasiar faz parte da maturação do sujeito. Como diria Jean Piaget "A infância é o tempo de maior criatividade na vida de um ser humano." Porém, há uma linha muito tênue nessas fantasias. O que é real quer seja bom ou ruim, é sempre muito bem vindo (saudável), fantasiar e achar que a fantasia realmente é real (não saudável- patológico). O equilíbrio entre a fantasia e a realidade é fundamental, precisamos estar atentos com as crianças, para que se for necessário fazer com que entenderem a diferença entre essas duas vertentes. Para quem se interessar tem uma revista que se chama: " O mundo estranho", na edição de abril de 2012 um dos temas abordados foi: " O lado oculto dos contos infantis", muito interessante. Fica a dica para quem quiser ler.

    Um abraço. Vanessa Bentes Moreira

    ResponderExcluir
  5. O problema não está na criança ouvir um conto de fada com um final surrealmente feliz ou presenciar violência, seja dos próprios contos ou não, o problema está em não ajudarmos a criança a construir um senso do que é real do que não é. Existe uma grande diferença no desenvolvimento de uma criança que é orientada de uma que não é, como a Vanessa citou, o equilíbrio entre a fantasia e a realidade é fundamental, é ele que não nos deixa cair da corda bamba da vida.

    ResponderExcluir