quarta-feira, 7 de setembro de 2011

ONDE ESTÃO OS REVOLUCIONÁRIOS DA PSICOLOGIA?

Sempre imaginei que em algum momento neste século XXI haveria uma revolução de pensamentos como na época de Wundt, Skinner, Freud, Jung ou Carl Rogers, que contribuíram com suas descobertas. Sendo cada um com sua importância e teorias que revolucionaram não somente uma época longíqua, mas até os dias atuais.


Contamos com críticos e seguidores de grandes teóricos, mas... Onde se encontram os “novos revolucionários”?


Contamos com a tecnologia, a ciência aprimorando cada vez mais seus experimentos e descobertas, a globalização, liberdade de expressão e inclusive a banalização que infelizmente faz parte do “processo” da modernidade... Onde contamos também com mulheres sobressaindo-se perante os homens e cada vez mais conquistando seu lugar independente.


Mesmo a psicologia sendo uma vertente da ciência, esta que sempre se aprimora, não vemos atualmente grandes psicólogos inovando e descobrindo novos caminhos com tanta força capaz de competir em um curso de graduação como escolha de uma abordagem como a comportamental, cognitiva, humanista e a psicanálise...


Partindo do pressuposto que tudo na vida se transforma, aprimora e evolui necessitamos de menos profissionais fanáticos que adoram como deuses os “pioneiros da antiguidade” que nada mais foram grandes profissionais que mudaram toda a história da humanidade propondo uma nova conduta e soluções para boa parte dos problemas que afligem o ser humano ao longo de sua existência.


Nesse caso percebo a necessidade de ao menos uma dose de flexibilidade, para aceitar o progresso que o mundo usufrui de tempos em tempos, onde é preciso olhar para tudo com uma dose de curiosidade e atenção. Sempre relembrando que Freud, Jung e companhia limitada eram pessoas como todos nós repletos de erros, acertos e que analisando de um outro ângulo, através de suas biografias observaremos condutas levianas, falta de consideração pelos filhos, materialismo, entre outras observações da parte desses grandes teóricos. Onde doaram boa parte de suas vidas em prol da “humanidade”, porém, o que fizeram com a própria vida e das pessoas que os cercavam?


Sendo assim, compreendemos e usufruímos de todos esses esforços passados, mas que como o próprio nome diz: “passado” e o presente é necessário crescimentos e novas fórmulas para a resoluções de problemas e a isso é chamado EVOLUÇÃO e ansiamos por ela, que dentro da psicologia tão novata, precisamos de maior credibilidade e respeito da parte de todos os profissionais e mesmo de pessoas que ainda hoje, muitos não acreditam na importância da terapia e o que ela possa ocasionar na vida das pessoas.


Por essas e outras que acredito que não tardará para maiores progressos e provas concretas para as dúvidas de quem não acredita no processo psicoterápico.


E acreditando que nesse momento alguma luz surge na mente de muitos estudiosos dedicados que certamente levarão em frente o bem mais precioso que temos: o de sempre seguir em frente superando o passado e acreditando no futuro! E aí poderemos saber por onde andavam...






Fonte - Psicologia.pt

0 comentários:

Postar um comentário