sábado, 30 de abril de 2016

SÉRIES SUPIMPAS PARA QUEM GOSTA DE PSICOLOGIA

Você estuda psicologia?
É psicólogo?
Gosta da área?

Listamos pra vocês algumas séries com a temática psi que talvez você possa gostar!




IN TREATMENT


Um psicanalista, cinco casos, uma sessão por dia. Isso é o que se passa na série "In Treatment", que foi inspirada em uma série de sucesso da TV israelense. Nela, Paul Weston possui um consultório dentro de sua própria casa e a cada episódio mostra uma sessão, inclusive a sua. A série não apresenta resoluções dos casos, o que nos coloca como voyeur, fazendo com que possamos acompanhar todo o processo psicanalítico do ponto de vista profissional e também do paciente. Com um roteiro tenso, prende a atenção do início ao fim.




SESSÃO DE TERAPIA


A série é a versão brasileira de "In Treatment", também baseada no serie israelense Be Tipul. Dirigida por Selton Melo, produzida por Roberto D’Avila e exibida pelo Canal GNT, conta com atores incríveis como Maria Fernanda Cândido, Sérgio Guizé, Marina Lima, Maria Luisa Mendonça e outros.



LIE TO ME

A série televisiva americana traz as investigações de uma equipe formada por especialistas em detectar mentiras, no qual são os melhores. As mínimas expressões e gestos são interpretados por esses cientistas do comportamento, que prestam seus serviços para diversas entidades, como o FBI, a polícia, empresas particulares ou mesmo pessoas que estejam dispostas a descobrir a verdade que alguém pode estar escondendo.





PSI

Psi é também uma produção brasileira e conta a história do psicanalista, psicólogo e psiquiatra Carlo Antonini, que atende na cidade de São Paulo. Não bastasse uma ex-mulher, um filho e dois enteados, ele ainda se presta a investigar por conta própria, nas horas vagas, crimes e casos complexos. Seu alívio é discutir os contratempos da vida com sua vizinha e colega de profissão, Valentina, e o amigo coveiro, Severino.




MENTAL

Produzida pela FOX, a série conta a história do Dr. Jack Gallagher, um jovem psiquiatra brilhante que acaba de assumir a diretoria da área de saúde mental de um hospital e que tem métodos nada ortodoxos para tratar os seus pacientes, como também pouco respeito pelas regras estabelecidas.




PERCEPTION

A série é um drama sobre a mente humana, centrada no Dr. Daniel Pierce, um talentoso, excêntrico e paranoico neurocientista e professor que conhece a fundo a mente e os comportamentos humanos. Devido sua grande inteligencia e conhecimento, é recrutado por Kate Moretti, sua antiga aluna, para trabalhar como seu parceiro no FBI. 




HUFF

Huff conta a história de um psiquiatra de sucesso cuja vida muda bruscamente quando um cliente de 15 anos comete suicídio em seu escritório. Após anos de ajuda e a lidar com os traumas de seus pacientes, ele agora tem de lidar com o seu e, por isso, é forçado a reavaliar sua carreira e repensar toda a sua vida. 





WEB THERAPY

Fiona Wallice é uma terapeuta que põe em prática um novo método de terapia, a Web Therapy. Na sua opinião, a versão tradicional das terapias de 50 minutos dá margem para que os pacientes falem sobre coisas irrelevantes. Encurtando as sessões para apenas 3 minutos, ela espera resultados mais rápidos, já que, nesse caso o foco da consulta se volta para o que há de relevante. Suas sessões são feitas pela internet, através de webcams, e são gravadas na esperança de atrair investidores para tornar sua nova técnica uma opção de terapia a nível mundial.




CRIMINAL MINDS

A série é de suspense e focada numa equipe de elite do FBI cuja especialidade é analisar perfis de criminosos, para antecipar seus passos e evitar que eles voltem a atacar. Enquanto detetives comuns estudam as evidências de um crime, esta unidade analisa o comportamento do criminoso até chegar a uma lista de suspeitos. Eles investigam o crime de dentro para fora, ou seja, eles tentam pensar com a cabeça do criminoso. 




TELL ME YOU LOVE ME

Os episódios trazem os relacionamentos e vidas de três casais que estão passando por complicações. Cada casal vive uma fase diferente da relação amorosa e todos têm algo em comum: vão falar sobre seus problemas com a psicóloga May Foster, que também enfrenta suas próprias questões nos seus 43 anos de casamento. 


DEXTER

Valendo-se do fato de ser um especialista forense em análise sanguínea e de trabalhar no Departamento de Polícia de Miami, Dexter, de um modo bem meticuloso e sem pistas, come rosquinhas, bebe café, mata criminosos que a polícia não consegue trazer à Justiça. Ele organiza seus assassinatos em torno do "Código de Harry", um apanhado de regras e procedimentos desenvolvidos por seu pai adotivo, Harry, para garantir que seu filho nunca seja preso e assegurar que ele mate apenas outros assassinos ou políticos corruptos. Harry também treinou Dexter quanto a interagir convincentemente com outras pessoas apesar de ser um sociopata








HANNIBAL
Will Graham é um professor e agente especial do FBI que possui a incrível habilidade de reconstruir cenas de crimes em sua mente. Tirado da sala de aula pelo agente Jack Crawford, ele se vê encarregado de uma grande missão, que o colocará cara a cara comDr. Hannibal Lecter, seu pior e mais novo aliado.



ANGER MANAGEMENT

Charlie é um ex-atleta que teve sua carreira encerrada devido aos problemas com controle da raiva, então ele volta a estudar e se especializa em terapia de controle de raiva. Toda semana ele atende seus pacientes em seu escritório, além de ajudar um grupo de prisioneiros. Charlie também tem que lidar com sua ex-mulher e a filha adolescente do casal que tem TOC, além da sua terapeuta com quem ele faz sexo casualmente.




quinta-feira, 28 de abril de 2016

FILMES E SÉRIES DE SUSPENSE PSICOLÓGICO MAIS VOTADOS NA NETFLIX - 1 A 10

Seven - Os sete crimes capitaisSEVEN - OS SETE CRIMES CAPITAIS
Classificação - 4,35

Um detetive de homicídios veterano e seu novo parceiro caçam um assassino em série que baseis seus crimes nos sete pecados capitais.








O Silêncio dos InocentesO SILÊNCIO DOS INOCENTES 
Classificação - 4,30

A estagiária do FBI Clarice Starling visita um presídio de segurança máxima para consultar o inteligente Hannibal Lector, um psiquiatra que se tornou canibal.
Inception





A ORIGEM

Classificação - 4,30

Neste inusitado suspense de ficção científica, um homem constrói um serviço de espionagem que entra no subconsciente de seus alvos para roubar seus pensamentos.



Janela indiscreta


JANELA INDISCRETA
Classificação - 4,30

Enquanto cura uma perna quebrada, homem se deixa absorver pela vida que passa pela janela e se centra em misterioso vizinho que pode ter cometido um assassinato.




Psicose
PSICOSE
Classificação - 4,15

Quando uma funcionária de uma imobiliária comete um roubo e foge com um monte de dinheiro, esperando começar uma nova vida, ela acaba no famoso Hotel Bates.



O sexto sentido



O SEXTO SENTIDO
Classificação - 4,05
Quando Cole Sear começa a ver pessoas mortas, ele acaba aos cuidados do psicólogo infantil Dr. Malcolm Crowe, que está determinado a descobrir a verdade.



A onda




A ONDA
Classificação - 4,00

O professor Rainer Wenger é colocado para dar aulas sobre autocracia. Para exemplificar melhor, ele forma um governo fascista dentro da sala de aula.







Chamada de emergência

CHAMADA DE EMERGÊNCIA
Classificação - 4,00

Uma adolescente sequestrada e uma atendente da Central de Emergências trabalham juntas pelo telefone para evitar que um perigoso assassino ataque novamente.




Ilha Do Medo


ILHA DO MEDO
Classificação - 3,93

Quando o inspetor Teddy Daniels chega à penitenciária psiquiátrica, o que começa como uma investigação de rotina sofre uma reviravolta sinistra e quase irreversível.






Taxi Driver
TAXI DRIVER
Classificação - 3,90

Neste envolvente conto urbano sobre decadência e insanidade, um taxista transtornado cuida de uma prostituta infantil e trama contra um candidato à presidência dos EUA.










quarta-feira, 27 de abril de 2016

FILMES E SÉRIES DE SUSPENSE PSICOLÓGICO MAIS VOTADOS NA NETFLIX - 11 A 20

A pele que habitoA PELE QUE HABITO
Classificação - 3,85

Um cirurgião plástico brilhante tenta superar a dor de ver sua mulher morta e desfigurada por um acidente de carro e inventa uma pele invulnerável a ferimentos.







Os 12 macacosOS 12 MACACOS
Classificação - 3,85

No ano 2035, um prisioneiro é voluntário para viajar no tempo e descobrir a origem de um vírus mortal que dizimou a população décadas antes.





El Cuerpo
EL CUERPO
Classificação - 3,85

O corpo de uma mulher desaparece do necrotério sem deixar vestígios e um policial precisa de toda a sua perspicácia para solucionar este mistério.





A conversação

A CONVERSAÇÃO
Classificação - 3,80

Após O Poderoso Chefão, Francis Ford Coppola lança este filme sobre um especialista em vigilância de áudio (Gene Hackman) que enfrenta um dilema moral quando suspeita que o casal cuja conversa ele foi contratado para gravar clandestinamente será assassinado. O filme, que se passa em São Francisco e conta com um tremendo elenco de coadjuvantes (entre eles John Cazale e Teri Garr), foi indicado a três Oscars, inclusive o de Melhor Filme e o de Melhor Roteiro.


Precisamos falar sobre o Kevin

PRECISAMOS FALAR SOBRE O KEVIN
Classificação - 3,75

Quando a tendência à crueldade de seu filho de 15 anos culmina em um ato de violência, a mãe se pergunta quão culpada é pelas ações que ele tomou.






Conexão PerigosaCONEXÃO PERIGOSA
Classificação - 3,70

Ao ser chantageado pelo presidente da empresa, um funcionário acaba seguindo os passos do ex-protetor e agora rival do chefe.



Cidade dos Sonhos





CIDADE DOS SONHOS
Classificação - 3,70

Nas avenidas de Los Angeles, verdade e ilusão se misturam. Betty chega do Canadá para se tornar atriz e conhece Rita, que está com amnésia, neste sucesso de David Lynch.



Instinto secreto




INSTINTO SECRETO
Classificação - 3,60

O carismático Sr. Brooks é um assassino em série que luta contra seu alter ego, cujo charme não consegue despistar a dedicada detetive que o investiga.




October 1


OCTOBER 1
Classificação - 3,55

Às vésperas da independência da Nigéria, o detetive Danladi Waziri tenta capturar um assassino que está aterrorizando as mulheres da região.



The Babadook



THE BABADOOK
Classificação - 3,55

Uma mãe solteira, atormentada pela morte violenta do marido, batalha com o medo de seu filho de um monstro estar se espreitando pela casa, mas logo descobre a presença sinistra ao seu redor.








sábado, 23 de abril de 2016

PSICÓLOGA PROMETE AMOR IDEAL E AUTOCONHECIMENTO PLENO EM APENAS 5 PASSOS

Sabe aquela história, trago o seu amor em sete dias? A frase que costuma aparecer em postes da cidade tem um significado diferente para a psicóloga Veruska Galvão, 34 anos. Percebendo as dores e dificuldades que as pessoas têm para iniciar e manter um relacionamento amoroso saudável, ela criou um método de autoconhecimento voltado para relações que tem basicamente cinco passos.
“Além de psicóloga, eu sou coaching. Trabalhei durante muito tempo em grandes empresas, com desenvolvimento de pessoas e ao longo desse tempo descobri que o buraco era mais embaixo. Alguns problemas de relacionamentos vem desde o processo de educação das pessoas, que estava comprometido. Foi então que surgiu o desejo de trabalhar com a educação afetiva das pessoas”, afirma Veruska.
Apaixonada por yoga e meditação, a profissional uniu tudo em um programa que identifica e busca solução para os problemas. “No coaching você estabelece muitas. A gente sempre trabalha com metas e no relacionamento não é diferente, por exemplo, uma meta é casar ou encontrar um namorado. Eu imagino que essa vai ser a maior demanda. Nós vamos estabelecer um plano de ação totalmente possível inclusive alinhando as metas com os valores dessas pessoas”, ressalta.
O primeiro passo do trabalho é a realização de uma palestra de apresentação coletiva. “O programa é em cinco etapas. É fundamental que ela esteja interessada em participar. Primeiro há uma palestra de apresentação em torno de 1 hora, é de graça e para conhecer a proposta, porque é algo novo. Depois se ela aceitar entrar para o programa, há um workshop de imersão, em um hotel provavelmente, um final de semana, em que a pessoa fica esse tempo todo em uma busca de autoconhecimento”, aponta.
A ideia é desmistificar que os opostos se atraem e que é preciso encontrar a cara metade. “Identificamos o estilo comportamental de cada um. Faço um relatório com feedback e a partir disso observamos se é preciso partir para um coaching individual ou apenas a imersão foi o bastante”, indica.
Depois de todos os passos é realizado um encontro entre os participantes para que eles possam treinar o que aprenderam. “Esse programa é para solteiros, casados, para quem queira melhorar as suas relações. Elas se encontram posteriormente para experimentarem o que elas aprenderam. É como naquele filme Conselheiro Amoroso, em um restaurante, café. Conheci várias pessoas que conheceram alguém dessa forma, é diferente”, frisa.
Por enquanto, Veruska não revela quanto vai custar o coaching amoroso. “Ainda estou em fase de testes, a minha primeira turma foi com pessoas que eu selecionei para participar. Quem eu conhecia e sabia que gostaria de conhecer alguém, de se relacionar melhor. Só depois dessa experiência verei o preço”, admite.
Mesmo assim, a proposta tem site em funcionamento, nome, no caso Relacionarsi e o marketing a todo vapor. No Instagram, por exemplo, há frases sobre ciúmes, valor e autoconhecimento. O que fica é a dúvida, “você tem sido protagonista ou coadjuvante dos seus relacionamentos?”.

quarta-feira, 21 de outubro de 2015

COMO DEIXAR FILHOS MELHORES PARA O MUNDO AO INVÉS DE [APENAS] DEIXARMOS UM MUDO MELHOR PARA ELES


Como deixar filhos melhores para o mundo ao invés de [apenas] deixarmos um mundo melhor para nossos filhos.


Paremos um instante para pensar no quão impactante para o futuro é educar uma criança .


Certamente esse impacto no mundo, na população terrestre, está fora da possibilidade de ser medido apenas em números. E o impacto em números não é o nosso interesse aqui , nosso interesse está na qualidade desse futuro.


A educação das crianças interfere diretamente no que chamamos de qualidade de vida, e posso dizer mais, interfere direta e certeiramente no futuro da humanidade. Por que digo isso? Porque nós precisamos de um mundo mais inteligente. E não estou falando apenas de inteligência cognitiva, não é uma questão de QI alto, de mentes brilhantes. Eu falo aqui sobre inteligência emocional. 

Precisamos de uma inteligência coletiva, que agregue mais do que individualize. Mas o que é inteligência emocional? É uma forma de inteligência na qual as pessoas conseguem identificar com mais facilidade os seus sentimentos, e os dos outros, e aprendem a lidar de forma saudável com eles.


Nós precisamos de um mundo com habitantes que saibam usar melhor os seus sentimentos, que utilizem-nos para o bem, que sejam sensíveis uns com os outros e com o mundo, que saibam compartilhar emoções, que não tenham medo de sentir. Seres humanos que saibam questionar suas ações, pensar nas consequências dessas para o todo, e não apenas isso, mas que tenham força moral para tomarem as atitudes necessárias e manterem suas opiniões quando perceberem que uma ação irá gerar uma reação negativa para a natureza e os outros seres vivos (humanos ou não). Que saibam recuar diante das inúmeras tentações que nos cercam e corrompem (o poder, o dinheiro, o sucesso), e nos afastam de um mundo mais coletivo, sustentável e saudável para todos.



Otimismo demais? Ideologia demais?


Acho preferível. Melhor o otimismo em relação a ideia de que o investimento no amor, no apoio, na educação de uma criança poderá mudar o futuro do que a incerteza do amanhã com os braços cruzados. Não podemos esperar sentados pela mudança. Nossos filhos estão aqui, nesse momento, pedindo para serem educados, guiados, amados, cuidados, apoiados, e eles nos pedem isso exatamente nesse AGORA em que vivemos. Vamos esperar o quê? Dê amor ao seu filho, cuide, dê limite, proteja, dê bronca, incentive, brinque, ensine, dê exemplo, tenha tempo com ele... A infância é o período de formação da personalidade e da moral da criança, do desenvolvimento cognitivo, motor, do desenvolvimento da linguagem, da descoberta dos sentimentos... Seja o "modelo" de ser humano que você gostaria que seu filho. Se esforce para atingir o seu melhor como pessoa, lembrando-se que um pequeno ser está sempre a olhar para você, admirado, observando tudo o que você faz, colocando-te como a pessoa mais importante da vida dele, pessoa a qual ele em tudo vai se espelhar. Seja para ele aquilo que você gostaria de ver no futuro.


Pense que seu filho é uma pequena esponja e está pronto para absorver tudo envolta. No início ele irá absorver TUDO que estiver ao redor dele, coisas boas e ruins, e irá absorver muito rápido. Porém, quem tem o discernimento, nesse primeiro momento, de separar o bom do ruim e mostrar para aquele pequeno bebê o que é "interessante" para ser absorvido, é você. Portanto, tenha paciência, dedique-se a educação de seu filho. É claro que cuidar de perto do desenvolvimento de uma criança não é uma tarefa simples. Precisamos, antes de tudo, estar atentos a nós mesmos, estar bem conosco. Há uma questão central que, por vezes, é negligenciada: o bem-estar físico e emocional dos cuidadores da criança. Mães, pais, avós, irmãos, parentes, amigos, profissionais, quem quer que sejam os responsáveis, a sua saúde é essencial para o bom desenvolvimento da criança que está sob seus cuidados. Não deixe o cuidado consigo de lado.


Vale lembrar de outra questão também primordial, o papel da escola na educação dos nossos filhos. A escola é uma instituição criada para a prática do ensino formal (respaldado por conteúdos, formas didáticas, certificação, profissionais de ensino, etc) e obrigatório à alunos, sendo administrada por professores. Ainda assim, existem muitos pais e/ou cuidadores que confundem o ensino formal e obrigatório que a escola oferece com a educação que precisa ser aprendida em casa. O ensino formal ofertado pelas escolas é composto por conteúdos pré-estabelecidos, elaborados por profissionais de ensino e transmitidos aos alunos de forma didática. Posteriormente, esses alunos são testados quanto aos conhecimentos aprendidos e, obtendo êxito, são certificados após a conclusão dos cursos propostos pelo Ministério da Educação (MEC). Já a educação seria um processo de ensino-aprendizagem realizado pela sociedade, entre os próprios agentes sociais, ou seja, com as pessoas entre si. No caso de bebês e crianças menores, ocorre nesse primeiro momento, através de seus pais, em uma constante interação e troca de aprendizagens e sentimentos. Assim, a transmissão de valores morais e éticos, a organização e manejo do comportamento, as regras a serem seguidas, enfim, todas essas e outras atividades similares são de responsabilidade da família cuidadora da criança, não cabendo à escola a educação dos nossos filhos nesse sentido.


Para finalizar, quero que pensem novamente sobre a seguinte questão:


Será que é ser realmente otimista demais querer um mundo assim?

Mesmo que seja e independente dos inúmeros desafios apresentados ao longo do desenvolvimento infantil, o qual acompanharemos como pais e responsáveis, no futuro saberemos que valeu a pena quando olharmos nos olhos dos nossos pequenos já crescidos, aqueles com quem dividimos tantas experiências, e percebermos que eles tornaram-se seres humanos de verdade, que compartilham não só sentimentos, mas o mundo em que vivem. Vamos perceber que valeu a pena ter investido na educação de uma nova geração, uma geração que sabe utilizar-se de um "pensamento coletivo" bem estruturado e desenvolvido para deixar o mundo melhor, para otimizar a qualidade de vida e beneficiar o todo, a humanidade.










Por Danielle Caus - CRP 16/4134

Formação: Psicologia

Instituição onde estudou: Faculdade Brasileira - UNIVIX

Área de atuação/Abordagem teórica: Psicoterapeuta Infanto-juvenil, ministra Palestras e Cursos sobre desenvolvimento infantil, realiza Treinamento de Pais.

Cidade onde atua: Vitória - ES
Site: www.fantasticamentedecrianca.com.br

terça-feira, 20 de outubro de 2015

O LADO BOM DE SER ANSIOSO

Partindo do princípio de que tudo envolve uma dicotomia e consciente que sou da minha ansiedade, logo penso ok! A ansiedade é algo ruim, então vou descobrir o lado bom se ser ansioso!

Sabe-se que a ansiedade é proveniente de fatores biológicos, ambientais, comportamentais e psicológicos, onde tudo tem início com o turbilhão de pensamentos que invadem a mente de forma incontrolável, com consequências que afetam as relações sociais e familiares principalmente, assim como o sofrimento psíquico que se manifesta fisicamente e impacta a vida como um todo.

A pergunta que surge é: O que eu posso fazer para de alguma forma usufruir de algum benefício dessa ansiedade?

Encontrar uma forma de lidar com ela é canalizar essa energia psíquica para a criatividade, para promover a produtividade no trabalho, impulsionar à ação para algo que resulte em prazer e realização.

Vamos lá! Mude o foco! Fale para si mesmo: sou ansioso, mas isso não me prejudica em nada, pelo contrário, me move, me faz fazer acontecer!


Rosânia Guimarães
CRP: 01/11302
Formação: Psicologia
Instituição onde estudei: Uniceub – Brasília/DF
Especialização: -
Área de Atuação/Abordagem Teórica: Clínica/ Teoria Cognitivo Comportamental
Cidade onde atua: Brasília/DF

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

COMO AJUDAR NAS ESCOLHAS DOS FILHOS?

Seu filho está terminando o Ensino Médio e não sabe o que quer fazer depois? As dúvidas variam a cada dia e você percebe que ele está sofrendo, mas não sabe como ajudá-lo? Dá opinião, fala da sua experiência ou assume uma postura neutra, uma vez que a escolha tem que ser de cada um?


Afinal, o que fazer?


Vamos falar aqui como os pais podem ajudar seus filhos na hora de escolher a carreira.


É verdade que esse costuma ser um momento conturbado na vida dos adolescentes e seus pais. Além de ser a primeira grande escolha desse jovem, trata-se de sua entrada na vida adulta.


Lembre-se de que a adolescência já é, por si só, um momento de muitas transformações emocionais, afetivas, intelectuais, sociais e físicas.


E, nessa hora, muitos pais ficam se perguntando o que fazer e como fazer.


Primeiro, vamos esclarecer uma coisa: a participação da família, principalmente dos pais, é muito importante nessa fase. Mas é preciso entender que é o adolescente quem irá decidir e é ele quem precisa ser o protagonista dessa escolha. Os pais estão ali para ajudá-lo e apoiá-lo.


Convido-o a relembrar como foi o seu processo de escolha da carreira. Lembro-me bem do meu. E me lembro, principalmente, do dia em que enfrentei a fila da Fuvest para entregar minha inscrição (naquela ano, a inscrição ainda era presencial. E olha que nem faz tanto tempo assim!). Nunca, na minha vida, uma fila foi tão longa!


Pensar nas nossas experiências pode ajudar-nos a entender melhor o momento de angústia pelo qual o adolescente está passando.



Aqui, vamos falar de três passos simples e importantes que você pode fazer para ajudar seu filho:


# 1 - Incentivo à pesquisa:


Hoje em dia, a informação está disponível para todos.


Pesquisar a respeito das carreiras é uma boa forma de entrar em contato com essa nova realidade.


Além disso, ajuda a conhecer novas profissões e carreiras que muitos nem imaginam que podem gostar.


É comum ouvirmos depois: “Puxa, se eu soubesse que esse curso existia...”.


Então, incentive seu filho a ir atrás das informações disponíveis sobre as carreiras e faculdades, ampliando seu interesse inicial.


Ele pensa em escolher Economia? Incentive-o a pesquisar sobre outros cursos, como Ciências Atuariais, Administração ou Sociologia. Gosta de animais? Estimule-o a pesquisar sobre Zootecnia, Medicina Veterinária ou Biologia. E por aí vai.


Mas lembre-se de algo importante: não faça nada por ele!


O adolescente precisa ser ativo na escolha, e isso inclui realizar a pesquisa da carreira.


Como pais, vocês podem e devem incentivar e conversar sobre o que ele encontrou e ajudá-lo a refletir sobre os resultados das pesquisas. Será uma ótima conversa!



# 2 - Assistir a uma aula:


Depois da pesquisa, converse com seu filho a respeito dos cursos que despertaram maior interesse nele e incentive a assistir a uma ou duas aulas desses cursos que estão chamando mais atenção.


Muitas faculdades permitem a entrada dos adolescentes com facilidade. E seu filho pode conhecer o campus, o ambiente e as pessoas. Alguns não gostam de fazer isso sozinho. Você pode acompanhá-lo ou incentivá-lo a procurar outros amigos para fazer a visita e assistir às aulas.


O objetivo de assistir à aula é observar os outros alunos, conversar com eles sobre o curso e a instituição.


Não é necessário focar no conteúdo da matéria, e sim no ambiente. Como são essas pessoas? O que pensam? O que fazem? O que acham do curso?


Mais uma vez, converse com seu filho a respeito das impressões dele após a visita.



# 3 - Entrevista com profissionais:


Essa dica é importante para quem já tem alguma ideia do que quer escolher.


Conversar com profissionais da área ajuda a tirar alguns mitos e fantasias a respeito da carreira escolhida.


O ideal é que seja feita no ambiente de trabalho.


Ajude seu filho oferecendo seus contatos, ajudando a pensar onde encontrar esses profissionais e como contatá-los.


Essa entrevista ou conversa deve ser feita com mais de um profissional. Isso porque dentro de uma mesma carreira temos caminhos e resultados diferentes.


Assim, seu filho pode entrevistar tanto alguém que goste do que faz e por isso vai dar uma ótima impressão dessa carreira, como outro profissional insatisfeito, que irá desincentivar tal escolha. Portanto, diversifique!


Mas lembre-se: não é você quem deve agendar as entrevistas! É importante deixar o adolescente fazer isso.


Pense com seu filho que perguntas ele poderia fazer ao profissional e elaborem um roteiro para auxiliá-lo.


E não deixe de conversar sobre a entrevista!



Para resumir:


Lembre-se de que o mais importante é conversar com seu filho e incentivá-lo a:


1. Buscar informações a respeito de cursos e carreiras;

2. Assistir às aulas dos cursos de interesse e perceber as pessoas e o ambiente;

3. Entrevistar profissionais (mais de um) em seus ambientes de trabalho.

Nunca faça nenhuma dessas atividades por ele, e sempre converse para saber como foi.




Daniela Porto Faus
CRP 05/45892
Formação, Psicóloga
Instituição onde estudou; Instituto de Psicologia da USP
Especializações; Neuropsicologia no contexto hospitalar Instituto de Psiquiatria da USP
Área de atuação/abordagem teórica: Orientação Vocacional, Psicoterapia e Avaliação Neuropsicológica
Cidade onde atua; Rio de Janeiro
Site: www.danielafaus.com.br

quinta-feira, 15 de outubro de 2015

E ESSA TAL DE OBESIDADE?

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), a obesidade é considerada a epidemia do século.

Segundo pesquisa realizada em 2010, considerou-se que 48,1% dos adultos estão acima do peso e 15% são considerados obesos.

Geralmente os obesos recebem adjetivos como: preguiçosos, não tem força de vontade ou são acomodados. Só que as pessoas ignoram que a obesidade não é somente fisiológica. Múltiplos fatores psicológicos atuam no indivíduo obeso, onde um profissional na área da psicologia vai procurar interpretar a linguagem inconsciente que o indivíduo procurou nortear a sua vida.

O ato de comer, além da função nutricional e de gerar energia para o corpo, está relacionado a uma função primitiva do ser humano: a fase oral. É através da boca que temos contato com determinados sentimentos como prazer, amor, medo, privação, etc. Geralmente a busca incessante de comida vai se apresentar como uma ferramenta de substituição para evitar o contato com determinados sentimentos que incomodam o indivíduo como frustrações, impotência e falta de esperança.

Os fatores psicológicos que geralmente estão presentes na obesidade (baixa autoestima, ansiedade, culpa, depressão) estão ligados a fatores sociais e ambientais e com isso podemos dizer que não existe um perfil único para o obeso. Por exemplo, se a família de origem é obesa, há uma grande tendência da criança ser obesa e consequentemente um adulto obeso. Isto porque ele vai estar cercado de determinados hábitos alimentares que já são padrões na sua família.

Quando se ignora os fatores emocionais as pessoas obesas vão viver uma luta eterna com a balança. Vão ter resultados totalmente temporários, podem passar pelo efeito "sanfona", trazendo seguidas frustrações e fazendo com isso que cada vez mais se torne difícil o ato de emagrecer.

O tratamento deve levar em consideração as necessidades individuais de cada um, suas crenças, preferências alimentares e estilo de vida além de procurar descobrir quais foram os objetivos que levaram o indivíduo a procurar perder peso como por exemplo, maior disposição, diminuição das taxas de colesterol, controle de diabetes e maior autoestima.

Portanto, é muito importante levar em consideração a parte psicológica no processo de emagrecimento.. É necessário conhecer os vínculos emocionais que levaram o indivíduo à compulsão e dependência na busca pela comida, senão mesmo procurando métodos considerados definitivos como a cirurgia bariátrica, a condição de magro pode ser temporária e com isso não vai agregar nenhum valor em termos de saúde e de qualidade de vida ao indivíduo.


Fátima de Freitas Pessôa
CRP: 5/43142
Estudou na Universidade Santa Úrsula
Especialista em Psicanálise e Transtornos alimentares
Área de atuação/ abordagem teórica: Psicanálise
Cidade onde atua: RJ - Consultório: Rua Jardim Botânico, 635/608 - Jardim Botânico - RJ